1 fevereiro 2023 2:04
1 fevereiro 2023 2:04

Vascaíno, ex-repórter do AC foi 1º a informar Dinamite sobre convocação para Copa de 82

Paulo Maia Sobrinho relembra episódio marcante em junho de 1982 durante amistoso do Vasco contra o Rio Branco-AC, na capital acreana. “Tá de brincadeira?”, questionou ídolo

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Maior ídolo da história do Vasco, o ex-atacante Roberto Dinamite faleceu neste domingo (8), aos 68 anos, no Rio de Janeiro. Ele lutava contra um tumor no intestino desde o fim de 2021, teve uma piora no quadro e foi internado na última quinta no hospital da Unimed, na capital fluminense.

Longe das terras cariocas, em Rio Branco, capital do Acre, um acreano torcedor do Vasco tem uma história única e especial com o ex-camisa 10 Cruz-Maltino. Em 1982, quando atuava como repórter de pista da Rádio Andirá, Paulo Maia Sobrinho, atualmente com 70 anos e aposentado da Petrobrás, teve a oportunidade de entrevistar Roberto Dinamite durante o intervalo de um amistoso entre Rio Branco-AC e Vasco, disputado na primeira quinzena do mês de junho no ainda chamado estádio José de Melo, hoje CT José de Melo. O jogo terminou com vitória por 1 a 0 para o Vasco.

Roberto Dinamite sendo entrevistado por Campos Pereira em amistoso do Vasco contra o Rio Branco-AC, em 1982 — Foto: Manoel Façanha/Arquivo Pessoal
Roberto Dinamite sendo entrevistado por Campos Pereira em amistoso do Vasco contra o Rio Branco-AC, em 1982 — Foto: Manoel Façanha/Arquivo Pessoal

Naquela ocasião, pouco antes do intervalo da partida, foi divulgada a convocação da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo da Espanha e Dinamite havia sido chamado para substituir o atacante Careca, que ficou fora da competição por causa de uma lesão. Paulo Maia foi informado pelo comentarista Campos Pereira sobre a novidade e teve a missão de repassar a notícia para o atacante.

– Eu estava esperando uma oportunidade para entrevistá-lo, mas não sabia que ia acontecer isso. O Campos Pereira me chamou pelo fone, aqueles grandes ainda, com um monte de fio pendurando num braço e o microfone no outro. Quando o juiz apitou (o fim do primeiro tempo) já corri porque sabia que ia ser difícil entrevistá-lo. Eu disse logo: você foi convocado pra Copa. Ele não acreditou. Foi preciso eu pegar meu fone e botar no ouvido dele e o Campos Pereira colocou a gravação do noticiário da convocação. Aí ele (Dinamite) disse: “Porra cara, que notícia boa!”. Aí acredita que não lembro o que eu falei, o que perguntei mais pra ele – relembra.

“Fiquei tão impressionado assim depois que findei não levando a entrevista nem cinco minutos. Antes de ele entrar pro vestiário, que era no banco, ainda falei algumas palavras com ele, mas não lembro as repostas dele”.

— Paulo Maia Sobrinho, ex-repórter acreano que deu notícia da convocação de Roberto Dinamite para a Copa do Mundo de 1982

Segundo o ex-repórter, quando Roberto Dinamite recebeu a informação pensou que seria gozação.

– “Tá de brincadeira?”, ele disse! – conta Paulo Maia, que entregou o fone para o camisa 10 ouvir a convocação.

Paulo Maia homenageia ídolo Roberto Dinamite: na terceira foto, o torcedor vascaíno com os filhos e netos — Foto: Reprodução/Facebook
Paulo Maia homenageia ídolo Roberto Dinamite: na terceira foto, o torcedor vascaíno com os filhos e netos — Foto: Reprodução/Facebook

Depois do amistoso no Acre, o atacante vascaíno seguiu para o Rio de Janeiro para se juntar a seleção. Ele fez parte do elenco canarinho, mas não entrou em campo na campanha que terminou com eliminação na derrota por 3 a 2 para a Itália, que seria campeã mundial posteriormente.

Paulo Maia recorda o episódio com carinho e diz que não tem tristeza pela partida do ídolo. Há três anos o vascaíno acreano sofreu com a perda da esposa também por vítima de câncer e crê que a despedida seja o fim de um sofrimento por causa do impacto que a doença causa no corpo.

– Realmente não estou triste. Passei uma situação com minha esposa e vi esse mesmo fim. Então, estou contente que ele descansou, não vai ficar sofrendo, a gente vendo aquela imagem terrível dele (sofrendo). Pra mim ficou a imagem dele dessa entrevista, aquele sorriso largo dizendo: “tá de brincadeira?!” – afirma.

Torcedor do Vasco desde 1965, o acreano só teve a oportunidade de assistir da arquibancada Roberto Dinamite com a camisa cruz-maltina em uma partida contra o Flamengo, em torneio disputado em Manaus (AM). O jogo terminou empatado por 1 a 1.

– Acho que foi em 83 que eu morava em Manaus. Foi um torneio que fizeram com Vasco, Flamengo, Nacional-AM e Remo. Foi o único que vi ao vivo – diz o ex-repórter, que foi presidente do Vasco-AC e vice-presidente da Federação Acreana de Desportos (FAD) na década de 80 e batizou o nome do primeiro filho de Paulo Roberto em homenagem ao ídolo.

Através de uma postagem em uma rede social, Paulo Maia fez homenagem a Roberto Dinamite. Confira:

Com informações ge.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS