4 fevereiro 2023 4:32
4 fevereiro 2023 4:32

Situação é crítica em Puerto Maldonado, a 230 km de Assis Brasil, segundo jornalista

Cidade a 230 quilômetros de Assis Brasil está sofrendo em decorrência da crise política no Peru.

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Longas filas nos postos de combustíveis e falta total de verduras e legumes nos mercados locais são alguns dos efeitos que a população de Puerto Maldonado, cidade a 230 quilômetros de Assis Brasil está sofrendo em decorrência da crise política no Peru.

“Escassez de alimentos com aumento do preço do gás com preço de até 180 soles, combustível com especulação e preços que começam a subir, entre outros. Há 17 dias já temos novas autoridades e isso demonstra paciência e calma. Falta de iniciativa própria”, diz o jornalista Júlio César Garcia.

Além de jornalista, García é professor da Universidade Amazônica de Madre de Dios. Ele tem acompanhado com preocupação o aumento da violência e a falta de perspectivas para a solução da crise política no país andino.

A marcha nacional a Lima está programada para ter o seu ápice na próxima quinta-feira, 19 de janeiro. A mobilização está sendo chamada de Marcha dos 4. Segundo o jornal peruano La República, manifestantes de várias regiões do país já estão na capital.

A presidente Dina Boluarte se manifestou sobre as manifestações que estão por vir e diz  que está disposta a receber no Palácio do Governo os dirigentes que chegam de Cajamarca, Andahuaylas, Lambayeque, Puno, Cusco.

“Não queremos mais sangue. Disseram que correrão rios de sangue, não queremos. Chega, calma, a gente sabe que eles querem tomar Lima, por tudo que está acontecendo, dias 18 e 19. Eu convoco eles para tomarem Lima, mas com calma e em paz, eu os espero na casa do governo poder falar sobre as agendas sociais que eles têm”, disse Boluarte.

Tendo mobilizado esforços para a repatriação de brasileiros que ficaram sitiados em meios a protestos e bloqueios de estradas durante cerca de uma semana no Peru, o governo do Acre mantém a recomendação de que as viagens ao país vizinho sejam evitadas.

Com Informações AC24Horas.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS