31 janeiro 2023 11:37
31 janeiro 2023 11:37

Região apresenta nova alta nos combustíveis

Apesar da prorrogação da desoneração dos tributos federais, a gasolina e o etanol continuam tendo aumento em algumas cidades do Brasil.

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

A alta nos combustíveis continua mesmo depois da medida provisória que prorrogou a desoneração dos impostos. Em Sorocaba, por exemplo, o preço médio da gasolina subiu em 1,89% e o álcool em 3,82%. Sendo assim, as pessoas notaram a diferença de preços entre a primeira semana de dezembro de 2022 e a primeira semana de janeiro de 2023.

Todos esses dados foram coletados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) em pesquisas feitas em vários postos da cidade. O órgão que pertence ao Ministério de Minas e Energia fez esse  levantamento sobre o preço médio do litro de etanol, que subiu mais que o preço da gasolina. Saiba mais!

Como ficou a alta nos combustíveis em Sorocaba?

Depois da pesquisa feita em 19 postos de gasolina em Sorocaba, o litro do etanol teve aumento do preço médio em 3,82%. Ou seja, passou de R$ 3,66 em dezembro de 2022, isso na primeira semana, para R$ 3,80 na primeira semana de janeiro de 2023.

Nesse período constatou-se que o aumento do preço médio do litro do etanol foi maior do que o litro da gasolina. A saber, os dados apontaram que houve aumento no preço médio do litro de gasolina em 1,89%. Sendo assim, ela passou de R$ 4,74 na primeira semana de dezembro de 2022 para R$ 4,83 na primeira semana de janeiro deste ano.

Mesmo com a alta nos combustíveis, os motoristas afirmam que os valores estão melhores do que há meses atrás. Uma vez que os preços sobem com frequência por causa da política da Petrobras. Mas a estatal está buscando equilibrar o preço dela com o preço do mercado. Isto é, sem o repasse volátil das cotações e da taxa de câmbio.

Os preços variam na cidade

Nas principais avenidas de Sorocaba já é possível perceber que há uma variação de preços em vários postos, principalmente da gasolina e do etanol.

Por exemplo, a diferença no preço do litro da gasolina comum chega a R$ 0,72 de um posto para o outro. Da mesma forma acontece com o litro do etanol, onde o preço pode chegar até R$ 0,65.

Diante disso, especialistas orientam que os motoristas precisam ficar atentos. Uma vez que preços menores não significam garantia de combustível de qualidade.

Dessa forma, muitos postos podem agir de má fé e adulterar o combustível causando problemas futuros nos veículos. Por isso, mesmo que haja alta nos combustíveis, procurar um posto que vende mais barato não é sinônimo de segurança.

O que diz a Petrobras e a ANP em relação ao aumento no preço do combustível

A Petrobras foi questionada a respeito da alta nos combustíveis e informou que o preço da gasolina segue as referências do mercado. Por causa disso, há um impacto principalmente no custo do petróleo.

Visto que varia dependendo da oferta e da demanda em todo o mundo. “Os reajustes de preços da empresa acompanham as variações para cima e para baixo”, declarou a estatal.

Já a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis),informa que os preços ao consumidor final variam por causa dos preços nas refinarias, dos tributos estaduais e federais que incidem ao longo da cadeia de comercialização, entre eles estão o PIS/Pasep. Cofins, Cide e ICMS.

Como também dos custos e das despesas das operações de cada empresa. Sem contar com os biocombustíveis adicionados ao diesel e à gasolina e também das margens de distribuição e de revenda.

Lembrando que a medida de isenção dos impostos federais foi prorrogada por 60 dias. Então, até 28 de fevereiro de 2023 não deveria haver o aumento dos combustíveis. Uma vez que a medida reduziu a zero as alíquotas da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) nas operações com gasolina e derivados.

Pronatec

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS