26 janeiro 2023 11:16
26 janeiro 2023 11:16

Pai solo que cuida de filhas deficientes ganha ajuda da internet para comprar casa em Rio Branco: ‘queria melhoras para elas’

Francisco Valdecir de Oliveira, de Plácido de Castro, cuida sozinho das filhas, que precisam de acompanhamento médico na capital. A família morava em uma casa simples e sem banheiro e agora está em casa provisória até comprar a própria.

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Desde que a ex-mulher foi embora Francisco Valdecir de Oliveira, que é de Plácido de Castro, cuida sozinho das quatro filhas, que têm 4 e 10 anos, e emocionou a internet ao aparecer em uma página nas redes sociais de um coletivo que contou a história dele.

No município no interior do Acre ele morava em uma casa que nem banheiro tinha. Por conta de problemas de saúde, as crianças precisam de cuidado em tempo integral e é dele a responsabilidade. já que é pai solo. As meninas têm epilepsia e recentemente descobriram que duas delas apresentam sintomas de microcefalia.

A história comoveu Derineudo de Souza, ativista social e representante do movimento Razões Para Acreditar no Acre, e também policial militar. Ele soube da história através de uma colaboradora da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Plácido de Castro.

“Fiquei sabendo através da Márcia, que trabalha na Apae e já acompanhava ele. Estive em Plácido e fiz um relatório para o Razões Para Acreditar. O que mais me comoveu foi o sorriso dele. Ele não tira o sorriso do rosto. Enquanto eu achava que ele iria pedir comida, uma casa, uma cesta básica, ele pediu apenas um banheiro novo para as filhas”, relembra.

Francisco e as filhas se mantêm com um auxílio e a aposentadoria de uma das crianças. Por conta dos problemas de saúde das meninas, a família precisava constantemente sair do interior do estado para a capital Rio Branco para acompanhamento médico.

“O que eu tinha mais de gasto era pra vir pra Rio Branco. Remédio eu pegava lá mesmo. A gente tinha que vir uma vez por mês, às vezes era duas vezes”, relata o pai.

Mudança para a capital

Através de doações de todo o Brasil por meio da internet, foi levantado mais de R$ 590 mil, o coletivo conseguiu alugar uma casa em Rio Branco para facilitar a locomoção. A ideia é manter a família no local enquanto alcançam o valor para comprar uma moradia em definitivo. A casa foi entregue no sábado (31).

Derineudo de Souza acompanhou a chegada da família à casa nova e destaca que o apoio deve ir além. Francisco não concluiu os estudos e, por conta da rotina, também não consegue trabalhar.

“A gente primeiro conseguiu alugar a casa e deixar ele cuidar delas. Depois a gente vai em busca de ajudá-lo a fazer cursos, terminar os estudos. Ele só tem até a 4ª série. Aí vamos ajudá-lo a tirar habilitação pra conseguir um emprego”, diz.

Francisco recebeu a casa nova no sábado (31) — Foto: Reprodução

Esperança

Na casa nova, agora na capital, Francisco acredita que vai conseguir dar melhores condições para as filhas. Ele não imaginava que a história teria grande repercussão, mas se sente grato pelo apoio recebido.

Algum sonho para o futuro das filhas? Ele apenas diz esperar que as crianças saibam o esforço que ele tem feito por elas.

“Eu só tenho a agradecer. Primeiro eu agradeço à Márcia, que foi quem primeiro viu. Eu não imaginava que ia dar isso tudo. Eu só queria uma casinha boa, com uma área para elas brincarem. Queria uma melhora para elas, porque eu nunca pude fazer nada, o que eu ganhava não dava”, diz emocionado.

Fonte: G1ACRE

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS