1 fevereiro 2023 12:46
1 fevereiro 2023 12:46

MP pede júri popular para acusado de matar ex-atacante da base do Vasco-AC: ‘matou covardemente’

Acusado passou por audiência de instrução na última terça-feira (17). Promotoria entendeu que vítima foi morta por engano.

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

O Ministério Público vai pedir que Wandresson Tavares Coelho vá a júri popular pelo assassinato do ex-atacante da base do Vasco-AC, Ygor Santos de Araújo, de 21 anos, em 28 de março do ano passado no Residencial Cabreúva, em Rio Branco. O acusado passou por audiência de instrução na última terça-feira (17) na 1ª Vara do Tribunal do Júri.

O ex-atacante estava em uma motocicleta e foi levar uma prima em casa. Já na volta, ele foi perseguido e abordado por dois motoqueiros, que o executaram com cerca de três tiros. Após o crime, a dupla fugiu do local. O jovem não resistiu aos ferimentos e morreu antes mesmo de ser socorrido.

Após a oitiva das testemunhas e interrogatório do réu, a promotoria entendeu que a vítima foi morta por engano após deixar uma parente em casa. Segundo o promotor Carlos Pescador, no dia do crime, o acusado estava em buscar de “matar por matar”.

“Ele matou covardemente um jogador de futebol com um futuro brilhante pela frente. Por engano, o que é pior. Negou, mas tudo prova que foi ele. Zero dúvida de que ele matou. [Ygor] era um menino correto, estava ajudando a tia, na ausência do tio, a ir e voltar do trabalho. Vítima limpa, sem nada, seria um grande jogador. Um absurdo. O Yago era um ótimo menino, correto, família, uma pessoa muito boa”, disse Pescador.

Denúncia

Na época do crime, a polícia já havia informado que o jovem tinha sido vítima inocente da guerra entre facções criminosas. Coelho foi denunciado pelo MP-AC pelos crimes de homicídio qualificado e por integrar organização criminosa.

Conforme a denúncia do MP, o acusado junto com uma segunda pessoa não identificada mataram o jovem com três tiros por motivo torpe e recurso que dificultou a defesa da vítima.

A motivação foi considerada torpe porque, segundo o MP, o acusado e o comparsa tinham o objetivo de realizar ataque em área de domínio de organização criminosa rival à que integram. Já o recurso que dificultou a defesa da vítima é porque os dois deram os disparos de arma de fogo enquanto o jovem estava na motocicleta.

A Associação Desportiva Flamengo do Acre lamentou a morte de Ygor, que era do clube desde 2018, e informou que ele sonhava em ser atleta profissional.

“Nosso clube lamenta profundamente a perda repentina de nosso atleta. Antes de qualquer coisa, Ygor Santos era um grande ser humano, amigo, leal e companheiro. Ygor vivia o esporte, sonhava em ser atleta profissional, amava o futebol.”

Fonte: G1ACRE

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS