31 janeiro 2023 11:23
31 janeiro 2023 11:23

Ministério da Saúde decreta emergência em Saúde Pública no território Yanomami, em Roraima

Portaria foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União de sexta-feira após serem constatados casos de desnutrição severa e malária

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

O Ministério da Saúde declara emergência em Saúde Pública no território Yanomami, a maior reserva indígena do Brasil, em Roraima, após detectar e resgatar pessoas que estava vivendo em casos severos de desnutrição e malária. A portaria foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União de sexta-feira, 20. A situação já havia sido denunciada pela etnia no ano passado. O estado declarado permite que a pasta atue de maneira emergencial na situação, estabelecendo o Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública (COE – Yanomami) para resposta ágil diante do caso.

Dentre as diversas medidas permitidas está a contratação emergencial de profissionais para atuar na resolução do problema, bem como a aquisição de bens e serviços.’ O Ministério da Saúde está em Roraima desde a última segunda-feira, 16, realizando o diagnóstico. Fotos divulgadas pela Associação Urihi Á mostram meninos e meninas muito magros, com costelas aparentes. De acordo com o levantamento do portal Samauma, 570 crianças com menos de cinco anos morreram nos últimos anos por doenças que poderiam ter sido evitadas. As vítimas são de mais de 120 comunidades.

Numa rede social, o presidente Lula condenou a situação dos povos Yanomami: “Recebemos informações sobre a absurda situação de desnutrição de crianças Yanomami em Roraima. Amanhã viajarei ao Estado para oferecer o suporte do governo federal e, junto com nossos ministros, atuaremos pela garantia da vida de crianças Yanomami”. Lula deverá ser recebido no Estado pelo governador Antonio Denarium (PP), que afirmou que o presidente deve visitar estruturas de antedimento a indígenas. Em publicação, o governador enfatizou que tais estruturas são de responsabilidade do governo federal.

A ministra dos Povos Indígenas Sônia Guajajara confirmou que estará na comitiva de Lula em Roraima. Ela afirmou que os povos Yanomami enfrentam uma crise humanitária e sanitária e que “é inadmissível ver nossos parentes morrerem de desnutrição e fome”. O ministro do Desenvolvimento Social, Wellington Dias, também estará na comitiva: “O presidente Lula determinou um comitê que integra ações de várias áreas do governo para dar conta de um problema de desnutrição, de fome, de saúde, muito grave nessa região. A partir do decreto, ele também tomou a decisão de ir pessoalmente à Boa Vista, em Roraima, neste sábado, pela manhã, antes da viagem à Argentina”. Dias também reforçou o objetivo da ação: “Montar hospital de campanha, medicamentos, alimentação, equipes profissionais. O objetivo é tratar de forma emergencial aquilo que precisa de solução emergencial, integrado com Estado e municípios, com as entidades, com a presença das Forças Armadas, mas também é ter um plano que possa garantir as condições de qualidade de vida e dignidade para os povos indígenas”.

Segundo o IBGE, Roraima é o Estado com a maior população indígena do país, do total de 631 mil habitantes, mais de 50 mil se declaram indígenas no território. A população local vive grave crise sanitária. A falta de assistência em saúde contribui para gravidade do quadro.

Com informações Jovem Pan

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS