1 fevereiro 2023 1:34
1 fevereiro 2023 1:34

Marina toma primeiras medidas como ministra e cancela programa de Bolsonaro

Logo no primeiro dia como ministra, Marina e o presidente Lula assinaram 07 atos em relação ao Meio Ambiente

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Após ser nomeada novamente como ministra do Meio Ambiente, a ex-senadora acreana Marina Silva já começa a tomar as primeiras medidas sob responsabilidade da pasta.

Uma das decisões de Marina foi o cancelamento do programa do ex-ministro do Meio Ambiente do governo Bolsonaro, Ricardo Salles, que tirava a autonomia de fiscais do governo federal em multar pessoas investigadas por crimes ambientais, a chamada “conciliação de multas”.

A medida criada por Salles, segundo especialistas, criava um cenário de caos administrativo e retirava uma série de atribuições técnicas dos fiscais do Ibama, o que não resolvia o passivo de autuações da pasta.

Com a nova regra criada por Marina, os dados das autuações serão públicos e divulgados em um portal na internet, além de retomar a autonomia dos fiscais do instituto. Lembrando que, durante o governo Bolsonaro, foi registrado uma série de tentativas de ocultar os dados de infrações ambientais.

Logo no primeiro dia como ministra, Marina e o presidente Lula assinaram 07 atos em relação ao Meio Ambiente. Confira quais:

  1. Mudança do nome do Ministério para Ministério do Meio Ambiente e da Mudança do Clima;
  2. Decreto que restabelece medidas de combate ao desmatamento da Amazônia;
  3. Decreto revogando norma do governo Bolsonaro que “incentivava o garimpo legal na Amazônia”;
  4. Decreto que restabelece o Fundo Amazônia;
  5. Despacho determinando que o Ministério do Meio Ambiente proponha, em 45 dias, nova regulamentação para o conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama);
  6. Alteração do decreto que permite impunidade das multas;
  7. Alteração do decreto para recompor a participação social do Conselho Deliberativo do FNMA;

Marina disse que as decisões fazem parte do trabalho que deverá “fechar a porteira da destruição, da irresponsabilidade com as presentes gerações e com nossos povos tradicionais”, declarou.

Com informações ContilNet

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS