31 janeiro 2023 11:44
31 janeiro 2023 11:44

Mãe de Jonhliane diz que não recebeu nenhum centavo de indenização de Alan e Ícaro, apesar de decisão judicial

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

No podcast Conversa Franca desta quarta-feira, 12, o jornalista Willamis Franca recebeu a senhora Raimunda Paiva, mãe da jovem Jonhliane Paiva, que foi vítima de um acidente de trânsito em 6 de Agosto de 2020 na avenida Antônio da Rocha Viana. O caso teve bastante repercussão local. Jonhliane foi atropelada pela BMW conduzida por Ícaro Pinto, apontou o laudo pericial, que estava em alta velocidade.

Dona Raimunda contou sua trajetória de vida e a dificuldade que teve em criar três filhos sozinha, tendo que trabalhar de doméstica para levar o sustento para dentro de casa.

Ainda durante o programa, dona Raimunda lembrou que a filha era a provedora da casa, pois ela estava sem trabalhar e estava concluindo a faculdade de pedagogia que Jonhliane também custeava para que a mãe se formasse e tivesse oportunidade de trabalhar e ajudar nas despesas de casa.

“Hoje eu vivo com alguma ajuda dos meus dois filhos e com um auxílio do governo federal de 600 reais que recebo por mês, mas que você sabe hoje com tudo caro você não consegue fazer nada”, rememorou.

Os réus foram condenados por danos morais no valor de R$ 150 mil para a mãe da vítima, sendo que Ícaro deve pagar R$ 100 mil e Alan R$ 50 mil. Além disso, os réus teriam que pagar uma pensão vitalícia (ou até que a vítima completasse 76, 8 anos) no valor de dois terços de dois salários mínimos, sendo R$ 977,77 (Ícaro) e R$ 488,88 (Alan). Acontece que esse valor nunca foi pago, pois de acordo com dona Raimunda eles estão usando a Justiça para recorrer da sentença.

“Nunca recebi um centavo deles, nem de indenização, nem da pensão que eles foram condenados a pagar, pois eles usam os advogados para recorrer da sentença”, disse.

Dona Raimunda espera que justiça seja feita, e que essa indenização seja paga para que ela possa custear seus medicamentos, assim como a taxa que ela tem que pagar do cemitério Morada da Paz todos os meses, onde sua filha está sepultada.

Willamis Franca, do Notícias da Hora

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS