31 janeiro 2023 11:51
31 janeiro 2023 11:51

Lula se posiciona sobre o preço dos combustíveis no Brasil, confira

A nova gestão governamental está sendo pressionada para tomar uma decisão sobre o preço dos combustíveis. Confira

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

O preço dos combustíveis é um dos temas que mais preocupam os brasileiros. Afinal, o valor do insumo causa impacto em todos os setores da economia do país. Naturalmente, o setor de transportes é o mais atingido, o que impacta no preço de outros produtos, também. O transporte de muitos itens é feito através dos caminhões.

Durante o primeiro semestre de 2022, o preço dos combustíveis aumentou desenfreadamente. Em junho, por exemplo, o litro da gasolina ultrapassou R$ 7, de acordo com a ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). Contudo, políticas do ex-presidente Bolsonaro (PL) desenfrearam tal aumento.

Com a mudança de gestão governamental, a população deseja saber se tais políticas de combate ao aumento irão permanecer. Continue lendo esta matéria para saber qual é a proposta de Lula (PT) para controlar o preço dos combustíveis.

Como é feito o cálculo do preço dos combustíveis

Antes de mais nada é importante explicar como o preço dos combustíveis é calculado. Como já dito antes, em 2022, a gestão federal aprovou uma série de iniciativas para reduzir o valor da gasolina, etanol e diesel. Na realidade, tais insumos são controlados pela Petrobras, uma das maiores empresas do ramo petrolífero.

Por se tratar de um estatal, quem possui as ações majoritárias é a União. Na prática, quem toma as últimas decisões sobre a empresa é o Governo Federal. Assim, decisões da própria administração pública interferem no preço dos combustíveis. Uma delas foi não passar o reajuste da gasolina para as refinarias.

Contudo, existem decisões que estão fora da Petrobras. O mercado internacional também interfere no preço dos combustíveis. A guerra entre Rússia e Ucrânia, por exemplo, contribuiu para o aumento do insumo em todo o mundo. Por isso, a antiga gestão governamental do país optou por duas medidas. A primeira foi isentar os combustíveis de impostos federais. Enquanto isso, a segunda foi obrigar os estados a reduzirem a taxa do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

De fato, ambas diminuíram o preço dos combustíveis. Mas, causaram um impacto nos cofres públicos. O governo Lula já anunciou que vai prorrogar a isenção dos tributos federais até fevereiro de 2023. Porém, as secretarias das fazendas dos estados e Distrito Federal, estão pressionando o novo governo para extinguir a medida de Bolsonaro. Na prática, desejam aumentar o ICMS, que é um tributo estadual.

Os combustíveis vão aumentar?

Por ora, o preço dos combustíveis continuará o mesmo. Contudo, caso a nova gestão não anuncie medidas para a redução, ele pode aumentar. A isenção de tributos federais foi prorrogada, apenas, até 28 de fevereiro. Além do mais, é necessário definir uma posição sobre o ICMS. De acordo com Jean Paul Prates, cotado para ser o novo presidente da Petrobras, o novo governo não vai interferir na política de preços.

Contudo, a tendência do governo Lula é interferir em políticas de preço, para controlar o valor dos combustíveis, mesmo que desagrade ao mercado. Uma matéria do UOL afirmou que o novo governo já estuda maneiras de reduzir o preço dos combustíveis.

Pronatec

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS