31 janeiro 2023 11:32
31 janeiro 2023 11:32

Governo discute plano de ação para monitoramento ambiental

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Alinhar os setores e trabalhar de forma integrada. Essa é a missão do governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e das Políticas Indígenas (Semapi). Um encontro para afinar os trabalhos e planos de ação que serão realizados em períodos considerados de atenção como cheias, seca, queimadas e desmatamento foi realizado nesta quarta-feira, 18, com representantes de órgão ligados ao meio ambiente.

A reunião ocorreu no Centro Integrado de Geoprocessamento Ambiental (Cigma). Na oportunidade, a secretária Julie Messias informou que a Semapi vai buscar dar o suporte necessário aos órgãos ligados ao meio ambiente.

Estavam presentes a diretora de Meio Ambiente, Renata Souza, e representantes da Defesa Civil Estadual, Secretaria de Segurança, Corpo de Bombeiros e o diretor-presidente do Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac), André Assem.

A secretária afirmou que a prioridade é trabalhar com todos os órgãos de forma integrada e reforçou que o governador Gladson Cameli tem como prioridade atuar de forma unificada. “Vamos trabalhar com a integração das diferentes forças para que a gente consiga atuar e estabelecer um plano de ação. É importante que todos os órgãos ligados ao meio ambiente saibam que a Semapi vai atuar junto, dando todo o suporte possível e de forma preventiva”.

O comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Charles Santos, falou da estrutura do órgão e disse que eventos ligados ao clima sempre ocorrem e reforçou que a união dos órgãos é de grande importância. “Com um trabalho integrado, vamos poder atuar na capital e no interior dando suporte e atuando nesses períodos críticos”, afirmou.

Comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Charles Santos, secretária da Semapi, Julie Messias, e o coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Carlos Batista. Foto: Alexandre Cruz Noronha/Semapi

O coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Carlos Batista, falou do importante papel que a Defesa Civil tem e que conta com o apoio da Semapi em relação a todo o mapeamento de dados que é feito por meio do Cigma para a tomada de decisões.

“Os dados são importantes, pois nos trazem os impactos que as inundações causam nos municípios. Em 2015, período em que houve a cheia histórica no estado, o Cigma foi de grande importância para o direcionamento das equipes e as tomadas de decisões”.

O presidente do Imac, André Assem, falou do papel do órgão e do papel do Cigma como centro de referência de dados. “O Imac está e sempre esteve em parceria com a Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Batalhão Ambiental e a Semapi, que é o nosso ‘guarda-chuva’. E nós, do Imac, trabalhamos sempre integrados e agora a parceria vai ser ainda melhor”.

Sobre o Cigma

Com suporte tecnológico, ferramentas geoespaciais e técnicos capacitados, o Centro Integrado de Geoprocessamento Ambiental (Cigma) oferece informações qualificadas para direcionar as estratégias de políticas do governo. O centro é coordenado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e das Políticas Indígenas (Semapi) e conta com a parceria do Instituto de Meio Ambiente (Imac), o Instituto de Terras (Iteracre), o Instituto de Mudanças Climáticas (IMC) e a Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac).

Agência Acre

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS