2 fevereiro 2023 1:16
2 fevereiro 2023 1:16

DNIT inicia serviços de recuperação nas BRs acreanas com os R$ 60 milhões liberados em 2022

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) deu início aos serviços de recuperação das rodovias federais acreanas com recursos da ordem de R$ 60 milhões que foram liberados nos momentos finais de 2022.

A verba é oriunda da aprovação da PEC da Transição e tem, segundo a direção da autarquia no estado, importância fundamental para a retomada das obras nas BRs antes da abertura do Orçamento 2023.

De maneira especial no segundo semestre do ano passado, a Superintendência do DNIT no Acre enfrentou sérias dificuldades relacionadas à escassez de recursos para a execução de obras de manutenção nas BRs 364 e 317, as duas principais rodovias do estado, que chegaram ao fim do ano em situação precária.

O superintendente regional em exercício, engenheiro Thiago Caetano, informou que os trabalhos começaram na BR-364, entre Rio Branco e Sena Madureira, e que há frentes de serviço entre Tarauacá e Cruzeiro do Sul e Brasiléia e Assis Brasil.

“São frentes ainda pequenas, uma vez que as empresas demoram um certo tempo até conseguirem engrenar uma mobilização plena. Mas temos conversado constantemente com as empresas e solicitado uma maior mobilização de equipamentos”, explicou.

Caetano lembrou que durante o período de chuvas, os trabalhos acabam sendo limitados. De acordo com ele, os trechos que apresentam maiores problemas, oferecendo mais riscos para os usuários, serão priorizados.

Os serviços realizados são de remendo profundo com pedra, nos buracos maiores, tapa buracos e correção de defeitos nos buracos menores, e essas ações começam pelos locais que apresentam maior risco aos usuários e vão evoluindo de acordo com as condições de mobilização das empresas e condições climáticas.

 

Um total de 5 empresas atuam em 12 contratos para os serviços de pista, o que resulta em 24 frentes de serviço, fora as frentes que atuam fora da pista, como roçagem e limpeza de valas de drenagem, segundo Thiago Caetano.

“Para cada contrato, estamos exigindo, nesse momento, pelo menos duas frentes de trabalho, uma de Reparos Profundos e outra de Reparos Superficiais. Em média, cada frente de serviço envolve umas 10 pessoas. Então estamos falando em contratação de mais de 200 pessoas”, acrescentou.

Thiago Caetano também ressaltou a importância da liberação dos recursos que vão antecipar o começo dos serviços em 2023 e destacou os esforços que o senador Sérgio Petecão tem empreendido em Brasília para que o Acre seja contemplado com mais verbas direcionadas às ações do DNIT.

“Estamos satisfeitos com a atenção que o senador tem dado ao DNIT e às nossas rodovias federais. Com esse apoio, avistamos a possibilidade de grandes aportes orçamentários para retomar um planejamento de longo prazo que havíamos construído, para a restauração definitiva das nossas rodovias, mas que tivemos que engavetar por falta de recursos”, acrescentou.

A falta de recursos apenas agravou as más condições de trafegabilidade da BR-364, que corta o estado no sentido da regional do Alto Juruá, e que na maior parte dos cerca de 600 quilômetros podem ser consideradas constantes. Já a BR-317, que dá acesso à regional do Alto Acre, costuma ter condições muito melhores de tráfego, apresentando problemas mais pontuais. Contudo, no último ano, a situação da rodovia ficou muito ruim.

Por Raimari Cardoso/AC 24 Horas
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS