31 janeiro 2023 11:23
31 janeiro 2023 11:23

‘Criado-mudo’ é termo racista? Discussão ganhou a web após campanha publicitária

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Na última semana, uma interação entre participantes do Big Brother Brasil 23 ganhou as redes sociais com um debate há muito conhecido. O tema surgiu quando o modelo Gabriel Tavares entrou no quarto para pegar uma toalha que estava em cima do móvel.

O brother pediu uma ajuda para outra participante e indicou que estava em cima do “criado-mudo”. Foi quando a cantora Marvvila interveio e o corrigiu.

“Só pra te dar um visu, porque eu acho que você não deve saber. Mas você falou ‘criado-mudo’, né? Então, esse termo não pode se usar mais, porque é racista, entendeu?”, disse a sambista.

Dentro do BBB, o assunto pareceu ter sido encerrado ali mesmo. Já fora da casa, o tema deu o que falar. Afinal, “criado-mudo” é ou não é uma expressão racista?

Mano eu NÃO AGUENTO MAIS. a história de que “criado-mudo” é um termo racista, queria saber quem foi o publicitário imbecil que inventou isso pra ir lá dar um pescotapa nele.

— Gabi Bianco (@gabibianco) January 19, 2023

Relação com negros escravizados?

Segundo o entendimento que se popularizou, o pequeno móvel que fica junto à cabeceira das camas, normalmente com abajur ou copo d’água, se chamaria “criado-mudo” porque, no passado, seria função dos escravos segurar a jarra de água para seus senhores enquanto estes dormiam. Eles teriam as línguas cortadas para não atrapalhar o sono de seus senhores. Com o tempo, um móvel os substituíram, mas o nome teria sido mantido.

Ao menos essa foi a história contada pela rede de móveis Etna, em uma campanha de marketing que viralizou em 2019.

Veja abaixo o vídeo da campanha:

Outra teoria para o termo é que ele teria vindo, na verdade, do inglês britânico “dumbwaiter”, algo como “garçom burro” em tradução livre, que foi um móvel inventado na Inglaterra. Na época, as famílias ricas usavam esse tipo de móvel para colocar os materiais para o chá, dispensando a necessidade de criados que poderiam ouvir conversas sigilosas durante o lanche.

'Criado-mudo' é um termo racista?
‘Criado-mudo’ é um termo racista? Foto: Viva Decora

Antes de ter o aspecto de mesa de cabeceira que conhecemos, “dumbwaiters” eram mini-elevadores usados para levar e trazer utensílios de um andar ao outro nas mansões. Por ser limitado e ter como única função servir as pessoas, o apelido de “garçom burro” pegou.

Não consta nos dicionários

No entanto, um furo na justificativa é que não há nenhum indício do uso de “criado” como sinônimo de “escravo” no Brasil escravagista. No Diccionario da Lingua Brasileira,de 1832, não existe o verbete “criado-mudo” e no Diccionario da Lingua Portugueza, de 1980, diz que o nome do móvel era “donzella”. As informações são de Thiago André, graduando em história e criador do História Preta, podcast documental sobre a história da população negra.

Atualmente, “criado-mudo” é descrito nos dicionários como “pequeno móvel, junto à cabeceira da cama, onde se colocam e guardam os objetos de que se pode precisar principalmente durante a noite” (Michaelis).

Ao Terra, o comunicador reitera que não há indícios dessa suposta origem, mas prefere não entrar no mérito se, de fato, “criado-mudo” é uma expressão racista ou não.

“Não é essa a questão. Dentro do meu campo de conhecimento, a origem que é dada para esse termo é muito pouco provável, bem remota que essa palavra tenha surgido como está sendo contada”, completa.

Enfraquece a luta antiracista, diz linguista

Terra

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS