31 janeiro 2023 11:32
31 janeiro 2023 11:32

Acusado de matar ex com tiro na cabeça passa por audiência em Rio Branco

Crime ocorreu no dia 12 de junho do ano passado no bairro Triângulo Novo. Audiência de instrução ocorreu nesta quarta-feira (18) na 1ª Vara do Tribunal do Júri de Rio Branco.

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

O acusado pela morte da jovem Ingrid Ponciano da Silva, de 19 anos, Daniel Silva Barros passa por audiência de instrução e julgamento nesta quarta-feira (18) na 1ª Vara do Tribunal do Júri de Rio Branco. Ingrid foi assassinada com tiro na cabeça no dia 12 de junho do ano passado na rua Padre José, no bairro Triângulo Novo, no Segundo Distrito de Rio Branco. O acusado é ex-namorado dela.

Na época do crime, o g1 conversou com a irmã da vítima, Eva Maria da Silva, de 27 anos, que chegou a ver o rapaz ao lado do corpo de Ingrid e dizendo que o tiro tinha sido acidental. Segundo ela, o ex da irmã afirmou que não sabia que arma estava com balas.

Além do réu, quatro testemunhas de acusação e defesa devem ser ouvidas durante a audiência, entre elas familiares da vítima. Não conseguimos contato com a defesa do réu até última atualização desta reportagem.

Conforme denúncia do Ministério Público do Acre (MP-AC), o acusado, que é conhecido como “Sangue Bom” matou a ex-namorada com um tiro por motivo torpe e com recurso que dificultou a defesa da vítima. Ele responde pelo crime de homicídio, com qualificadora de feminicídio.

Jovem Ingrid da Silva, de 19 anos, foi assassinada com tiro na cabeça em Rio Branco — Foto: Arquivo pessoal
Jovem Ingrid da Silva, de 19 anos, foi assassinada com tiro na cabeça em Rio Branco — Foto: Arquivo pessoal

O acusado foi preso no dia 1 de julho do ano passado no bairro Triângulo Novo, após investigação da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Conforme a Polícia Civil informou na época, durante a investigação pelo crime de feminicídio, foi constatado que o homem também estava com um mandado de prisão em aberto por ter rompido a tornozeleira eletrônica cerca de seis meses antes da morte da jovem. Ele cumpria pena por tráfico de drogas.

A informação repassada na época do crime foi que a jovem tinha deixado a filha com o atual namorado e, ao ir até a casa da mãe que fica perto, parou para conversar no meio da rua e acabou levando um tiro na cabeça. Após pedir desculpas e dizer que tinha sido um acidente, o ex dela fugiu do local.

G1 Acre

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS