1 fevereiro 2023 5:31
1 fevereiro 2023 5:31

Acre registra alta de casos de síndrome respiratória nas últimas seis semanas, diz InfoGripe

O Estado vai na contramão do restante do Brasil, que registra tendência lenta de queda de casos entre adultos

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

O Acre e outros 10 estados registraram crescimento moderado de casos de Síndrome Respiratória Aguda (SRAG) na tendência de longo prazo, que analisa as últimas seis semanas, principalmente na faixa acima de 60 anos, associados à Covid-19. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, 5, pela Fundação Oawaldo Cruz (Fiocruz), através do boletim InfoGripe.

Os outros estados são: Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Piauí, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima e Tocantins.

Das capitais, apenas seis apresentam crescimento moderado na mesma análise: Boa Vista (RR), Goiânia (GO), Manaus (AM), Palmas (TO), Recife (PE) e Rio Branco (AC).

Vale destacar que o Acre vai na contramão do restante do Brasil, que registra tendência lenta de queda de casos entre adultos. Segundo a Fiocruz, o motivo é a diminuição de agravamentos da covid-19 nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo.

Ainda segundo o boletim, nas últimas quatro semanas epidemiológicas, as internações por infecção pelo vírus Sars-CoV-2, causador da covid-19, ainda respondem por 78,3% dos casos no Brasil. Entre os resultados positivos para vírus respiratórios, 1,2% foram de influenza A, 0,1% são de influenza B e 11,1% foram causados pelo vírus sincicial respiratório (VSR). Entre os óbitos 96,1% são por Sars-CoV-2.

Reforço de vacinação para crianças

O Ministério da Saúde (MS) recomendou aos estados, por meio de nota técnica publicada nesta quarta-feira, 4, a aplicação de dose de reforço da vacina contra a covid-19 em todas as crianças entre 5 e 11 anos. No Acre, o Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie) vem realizando a vacinação em Rio Branco, e nos demais municípios as ações são desenvolvidas nas unidades básicas de saúde (UBS).

Dados do Programa Nacional de Imunização (PNI) no Acre, revelam que, para crianças entre 5 e 11 anos a cobertura vacinal alcançou, apenas, 52% com a primeira dose e 33% com a segunda dose.

A Gazeta do Acre

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS