31 janeiro 2023 11:23
31 janeiro 2023 11:23

Promotor pede que réu acusado de executar jogador de futebol seja julgado pelo júri popular

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Para o promotor da 1ª Vara do Tribunal do Júri, Carlos Pescador, as provas são incontestáveis e apontam que o presidiário, Wandresson Tavares Coelho, foi um dos autores da execução do jogador de futebol de base, Igor Santos de Araújo.

O representante do Ministério Público do Acre (MPAC) disse que várias evidências foram colhidas ainda no local do crime. “A motocicleta utilizada no homicídio, que pregou no local, era dele. Ele foi visto ainda tentando funcionar o veículo”, disse Pescador.

Com base nessas informações que consta na denúncia, o promotor disse que vai pedir que o réu responda pelo crime em júri popular. “É bom que fique claro que o jovem era inocente. O Igor foi morto por engano”, finalizou o autor da denúncia.

A partir de agora, a Juíza da 1ª Vara do Tribunal do Júri Luana Campos, após analisar as alegações finais, que são os últimos argumentos da acusação e defesa, vai decidir se Wandresson Tavars será ou não levado ao banco dos réus.

O jovem Igor Santos, foi executado a tiros na noite de 28 de março do ano passado na região Cabreúva. O ex-jogador de futebol tinha ido a região deixar uma pessoa e, ao voltar para casa foi seguido e assassinado, sem ter qualquer chance de defesa.

Da redação do AcreNews

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS