28 novembro 2022 7:40
28 novembro 2022 7:40

Seleção do Senegal aposta em santidade para curar craque e jogar na Copa do Mundo

Mesmo machucado, Sadio Mané, o camisa 10 senegalês foi convocado para integrar o time que vai disputar o mundial

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

A uma semana do início da Copa do Mundo de 2022, a participação do craque Sadio Mané, camisa 10 da seleção do Senegal, ainda é uma incerteza. Depois de ter se lesionado, a imprensa internacional chegou a cravar que o atleta não participaria do mundial, mas os senegaleses não desistirão do ídolo com facilidade.

A secretária-geral da Fifa, federação responsável pela realização da Copa, Fatma Samoura, que é senegalesa, afirmou em entrevista à rádio francesa Europe 1 que o país africano irá contratar “feiticeiros” para tentar curar o astro da seleção. “Vamos usar marabutos. Não sei se é eficaz mas, neste caso, vamos usá-los de qualquer maneira. Esperamos milagres. Ele tem que estar na Copa”, contou.

Mané sofreu uma lesão na perna direita, mais especificamente na fíbula — osso fino e cilíndrico localizado na região posterior da perna —, na terça-feira (8/11), durante jogo do Bayern de Munique contra o Werder Bremen pelo Campeonato Alemão. O desfalque ocorreu faltando menos de duas semanas para a estreia do Senegal na Copa do Mundo, que deve ser em 21 de novembro, contra a Holanda.

“Serão realizados exames médicos nos próximos dias. O Bayern está em contato com o departamento médico da Federação Senegalesa”, explicou o Bayern em um comunicado, logo após o episódio. Já o técnico da seleção do Senegal, Aliou Cissé, garantiu que serão usados “todos os meios necessários para poder recuperar Sadio Mané”.

O anúncio da lesão do jogador e a possibilidade de ele ser desfalque no Catar gerou grande preocupação no Senegal. “Sadio, te desejo uma pronta recuperação depois de sua lesão durante o jogo Bayern-Werder Bremen. Como já te disse: Sadio, coração de leão! De todo coração contigo! Deus te abençoe!”, escreveu no Twitter o presidente de Senegal, Macky Sall.

O que é um marabuto?

Na cultura senegalesa, os marabutos são líderes religiosos mulçumanos. No país de Mané, esses líderes estão concentrados, principalmente, na cidade de Touba, considerada o centro da religião e onde está uma das maiores mesquitas da África.

Além de exercerem um importante papel na política, os marabutos são vistos como uma espécie de seres místicos, que realizam milagres, rituais e preparam todo tipo de amuletos e talismãs. De acordo com a crença, esses líderes têm acesso direto a Alá e, por isso, desempenham o papel de intercessores.

A religião, chamada de Mouride, é uma irmandade fundada em 1883, no Senegal, por Amadou Bamba. Ele era um marabu místico que escrevia folhetos sobre meditação e rituais, e ficou conhecido por sua postura voltada a pregar o temor à Alá e prometer salvação através do trabalho e da submissão. Com a popularidade, o religioso mulçumano passou a ser chamado, entre seus seguidores, de “renovador do Islã”.

Bamba é o “grande marabuto” da religião. Após sua morte, em 1927, o principal líder da irmandade passou a ser sempre o descendente direto do fundador. Além do grande marabuto, existem outros marabus responsáveis por guiar os discípulos, sempre firmados nos três pilares da crença, que são amor, trabalho e conhecimento.

No Senegal, as pessoas costumam procurar a ajuda dos marabutos para se protegerem de espíritos malignos, para conquistar melhora na vida profissional, amorosa ou financeira e para obterem cura para doenças. Os fiéis acreditam que os marabutos têm a capacidade de buscar a ajuda dos espíritos para alcançar coisas impossíveis aos seres humanos.

Sadio Mané é o segundo melhor jogador do mundo

De acordo com o ranking de votos da premiação Bola de Ouro 2022, o atacante senegalês é o segundo melhor jogador do mundo, ficando atrás apenas do francês Karim Benzema, atacante do Real Madrid.

Sadio Mané também foi escolhido como o melhor jogador africano do ano e campeão da África com a seleção senegalesa no início deste ano, vencedor da Copa Africana de Nações (CAN) em 2021, e finalista da Liga dos Campeões na temporada passada com o Liverpool.

O fenômeno nasceu em 1992, em Bambali, no Senegal, um vilarejo com cerca de 2 mil habitantes. No início da carreira, era conhecido como “Ballonbuwa” (O mago da bola) e, devido ao talento e seguidas vitórias, se tornou o “rei” do futebol de Senegal.

“No lugar onde nasci, para se tornar um jogador de futebol você tem que sacrificar tudo”, diz o camisa 10 no documentário Sadio Mané, feito em Senegal, da Rakuten TV. Durante a infância, o senegalês viveu momentos difíceis, como a morte de seu pai quando ele tinha sete anos de idade, mas o amor pelo futebol e o sonho de se tornar um jogador sempre falaram mais alto.

Após uma árdua jornada, o jovem chegou ao Liverpool e balançou o futebol europeu. Mesmo depois de se profissionalizar na Europa e construir uma carreira de sucesso estrondoso, Mané não esqueceu a terra natal, a qual ajuda com construção de escolas, hospitais e doações para auxiliar o Senegal no enfrentamento à covid-19. “Ele é generoso”, explica Aliou Cissé, técnico da seleção senegalesa. “Investe em seu país, cria empregos, tem um grande coração”, completou.

“Por que eu teria 10 Ferraris, 20 relógios de diamante, ou dois aviões? O que todos esses objetos fazem por mim e pelo planeta? Eu passei fome, tive que trabalhar no campo. Sobrevivi a tempos difíceis, joguei futebol descalço, não tinha educação e outras coisas. Mas com o que eu ganho do futebol, posso ajudar meu povo”, declarou Mané, em 2019.

Este envolvimento com as raízes senegalesas foi reconhecido com o Prêmio Sócrates durante a última edição do Bola de Ouro, modalidade atribuída a profissionais do futebol comprometidos com causas sociais.

Mesmo machucado, Mané está entre os convocados para a Copa

Apesar da recente lesão, Sadio Mané, melhor jogador africano da temporada, foi convocado entre os 26 jogadores de Senegal para disputar a Copa do Mundo, segundo anúncio do treinador Aliou Cissé.

Cissé disse à imprensa que espera uma melhora e está “otimista”, já que a lesão não exige cirurgia. “Preferi incluí-lo no grupo. Sadio Mané é um jogador importante no nosso elenco, é importante continuar aguardando sua recuperação na esperança de que em duas ou três semanas haja uma evolução. Mas estamos muito otimistas”, afirmou.

Senegal, campeã da última Copa Africana de Nações e uma das candidatas a brilhar na Copa, aguarda notícias sobre a evolução da lesão do jogador para saber se realmente poderá contar com o craque.

Veja a lista dos 26 jogadores convocados de Senegal para a Copa:

Goleiros: Edouard Mendy (Chelsea), Seny Dieng (Queens Park Rangers), Alfred Gomis (Rennes)

Defensores: Kalidou Koulibaly (Chelsea), Youssouf Sabaly (Sevilla), Abdou Diallo (Leipzig), Pape Abou Cissé (Olympiakos), Fodé Ballo (Milan), Ismaël Jakobs (Monaco), Formose Mendy (Amiens)

Meio-campistas: Moustapha Name (Pafos), Pape Gueye (Olympique de Marseille), Idrissa Gana Gueye (Everton), Nampalys Mendy (Leicester), Mamadou Loum Ndiaye (Reading), Pape Matar Sarr (Tottenham), Cheikhou Kouyaté (Nottingham Forest), Pathé Ciss (Rayo Vallecano), Krepin Diatta (Monaco)

Atacantes: Sadio Mané (Bayern de Munique), Ismaila Sarr (Watford), Bamba Dieng (Olympique de Marseille), Famara Diedhiou (Alanyaspor) , Ilimane Ndiaye (Sheffield), Boulaye Dia (Salernitana), Nicolas Jackson (Villarreal)

Correio Braziliense com informações da AFP

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS