24 novembro 2022 12:39
24 novembro 2022 12:39

Segurança Pública anuncia força-tarefa para combater ações criminosas após mortes na fronteira

https://agazetadoacre.com/2022/11/noticias/apos-mortes-na-fronteira-seguranca-publica-anuncia-forca-tarefa-para-combater-acoes-criminosas/#:~:text=Nos%20%C3%BAltimos%20quatro%20dias%2C%20foram%20registradas%20pelo%20menos%20quatro%20mortes%20na%20regi%C3%A3o.

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Após o registro de pelo menos quatro mortes, em um intervalo de uma semana, na região da fronteira do Acre, nas cidades de Brasileia e Epitaciolândia, o secretário de Justiça e Segurança Pública do Estado, Paulo Cézar Rocha dos Santos, e demais autoridades das Forças de Segurança, concederam entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira, 16, em Rio Branco, quando disseram que vai ser dada uma resposta e a segurança será ampliada.

O último caso ocorreu na noite dessa terça-feira, 15, quando um confronto policial terminou com Matheus Luan Martins de Oliveira, 20 anos, morto e outras cinco pessoas presas. Na noite de segunda, 14,  Laeldo Soares da Silva, de 36 anos, e outro homem que não portava documentos, também foram mortos. E, no último dia 10, um corpo foi achado com marcas de violência boiando em um igarapé.

“Daremos resposta aos recentes crimes ocorridos na região de fronteira. Reforçaremos o nosso trabalho com um efetivo maior no Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), reforço na Polícia Militar, Gefron e Polícia Penal. Será uma força-tarefa para garantir mais segurança aos moradores dessas cidades. Daremos uma resposta positiva a sociedade”, enfatizou Santos.

O delegado-geral de Polícia Civil, José Henrique Maciel, sem passar maiores informações, comentou que as investigações sobre os recentes homicídios registrados nos dois municípios já iniciaram.

“Aquela região precisa de um olhar diferenciado do poder público. Esses crimes estão ligados, na maioria das vezes, ao tráfico de drogas e a guerra entre facções, o que é latente em regiões que fazem fronteira”, concluiu Maciel.

A Gazeta do Acre/Dell Pinheiro

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS