8 dezembro 2022 1:44
8 dezembro 2022 1:44

Raio-X dos camisas 10 na Copa: o veterano, o novato, o trio de craques do PSG e até um Romario

Veja curiosidades e histórias dos jogadores que vão usar o badalado número no Catar

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Os camisas 10 sempre despertam o interesse e os olhares do torcedor. Na Copa do Mundo, 32 jogadores terão o privilégio de utilizar o número mais badalado de uma equipe. Eles serão atrações à parte no Catar.

No domingo, às 13h (de Brasília), no estádio Al Bayt, Hassan Alhaydos e Romario Ibarra serão os primeiros camisas 10 a entrarem em campo no duelo entre Catar e Equador.

Abaixo, o ge mostra um panorama dos camisas 10 da Copa. Dos já conhecidos Neymar, Messi e Mbappé até aqueles com menos holofotes, como Hassan Alhaydos, Junior Hoilett e Romario Ibarra. Veja números, fatos e curiosidades dos candidatos ao protagonismo na Rússia.

A média de idade dos camisas 10 aumentou em relação à última Copa do Mundo. Se em 2018 era de 27 anos, agora é de 29. O mais velho fica bem longe desta média. Bryan Ruiz, da Costa Rica, é o “vovô” da galera, com 37 anos e 3 meses. Ele ganha por apenas um mês de Luka Modric, da Croácia.

Mbappé continua com o posto do camisa 10 mais jovem do Mundial, com seus 23 anos e 11 meses. Na Copa da Rússia ele tinha apenas 19 anos. E com quatro anos a mais de experiência ele pode causar ainda mais problemas…

Os camisas 10 da Copa do Mundo — Foto: Infografia

Os camisas 10 da Copa do Mundo — Foto: Infografia

Não satisfeito em ser o mais velho, Bryan Ruiz também quis ser o mais alto camisa 10 da Copa do Catar, com seus 1,87 m. A média do Mundial é de 1,77m.

E adivinhem quem é o mais baixo? Sim, Lionel Messi (mais uma vez). Mas assim como em 2018 ele não está sozinho. Raheem Sterling, da Inglaterra, divide esse posto com o argentino.

O “baixinho” Romário fez história com a camisa 11 da seleção brasileira. Neste Mundial, um outro Romário – inspirado no original – espera surpreender com a camisa 10.

Romario Ibarra, do Equador, tem 28 anos, e leva o nome bem brasileiro por conta do pai. Em 2019, durante uma entrevista coletiva em Salvador, durante a Copa América, ele confidenciou que seu pai era muito fã de Romário, e o seu nascimento dois meses após o tetracampeonato da seleção brasileira foi a desculpa perfeita para o batismo.

– Meu pai gostava de futebol. Eu perguntei a ele outro dia, e ele disse que me deu este nome por conta do jogador brasileiro. Graças a Deus eu tenho esse dom de jogar futebol, me sinto contente por isso. O Romário é uma lenda, um jogador que fez muito sucesso aqui. É uma lenda do futebol por tudo que fez na seleção e nos clubes – contou.

Esta será a primeira Copa do Romário equatoriano. Se ele se inspirar no futebol que o Romário brasileiro jogou, o Equador pode chegar longe nesse Mundial…

O representante do Brasileirão é uruguaio

Neymar é o 10 da seleção brasileira, mas quem coloca o Campeonato Brasileiro no mapa dos camisas 10 da Copa é o uruguaio Giorgian De Arrascaeta.

O meia do Flamengo é o único representante que atua na América do Sul na lista dos 32 jogadores. Recém-campeão da Libertadores e da Copa do Brasil, ele chega em alta ao Mundial.

Por outro lado, a França é o país que abriga mais camisas 10 em clubes: são sete, incluindo, claro, o badalado trio Messi/Neymar/Mbappé, do Paris Saint-Germain. A Inglaterra vem logo em seguida, com seis camisas 10.

E assim, vamos à lista…

Nota da redação: seguimos o padrão do material divulgado pela Fifa com o clube em que cada jogador estava atuando quando foi convocado. Jogadores emprestados, portanto, aparecerão com o clube em que jogam atualmente, e não os que detêm os seus direitos econômicos.

Agora sim, a relação dos 32:

  • França: Messi (Argentina, PSG), Neymar (Brasil, PSG), Mbappé (França, PSG), Takumi Minamino (Japão, Monaco), Amine Harit (Marrocos, Olympique de Marselha), Whabi Khazri (Tunísia, Montepellier) e Aaron Ramsey (Gales, Nice).
  • Inglaterra: Junior Hoilett (Canadá, Reading FC), Eriksen (Dinamarca, Manchester United), Raheem Sterling (Inglaterra, Chelsea), Bernardo Silva (Portugal, Manchester City), Granit Xhaka (Suíça, Arsenal) e Christian Pulisic (Estados Unidos, Chelsea)
  • Espanha: Eden Hazard (Bélgica, Real Madrid), Luka Modric (Croácia, Real Madrid), Marco Asensio (Espanha, Real Madrid) e Memphis Depay (Holanda, Barcelona).
  • Alemanha: Serge Gnabry (Alemanha, Bayern de Munique), Jaesung Lee (Coréia do Sul, Mainz) e Sadio Mané (Senegal, Bayern de Munique).
  • Arábia Saudita: Vincent Aboubakar (Camarões, Al-Nassr), Grzegorz Krychowiak (Polônia, Al-Shabab) e Salem Al-Dawsari (Arábia Saudita, Al-Hilal).
  • México: Romario Ibarra (Equador, Pachuca) e Alexis Vega (México, Guadalajara).
  • Catar: Andre Ayew (Gana, Al Sadd) e Hassan Alhaydos (Catar, Al Sadd).
  • Itália: Ajdin Hrustic (Austrália, Hellas Verona).
  • Holanda: Dusan Tadic (Sérvia, Ajax).
  • Brasil: Arrascaeta (Uruguai, Flamengo).
  • Chipre: Karin Ansarifard (Irã, AC Omônia).
  • Costa Rica: Bryan Ruiz (Costa Rica, LD Alajuelense).

G1

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS