8 dezembro 2022 3:17
8 dezembro 2022 3:17

Ministra da Bélgica usa braçadeira ao lado de Infantino: “One Love”

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

A Copa do Mundo do Catar é envolta de polêmicas. A começar pela escolha do país, uma região muito quente e com poucas condições de receber um evento do nível da Copa do Mundo, passando pelos trabalhadores mortos na construção dos estádios e chegando às violações de direitos humanos praticados pelo governo catari. Durante o Mundial, mais uma polêmica foi colocada na mesa: a utilização da braçadeira “One Love”.

Essa braçadeira é uma homenagem à comunidade LGBTQIA+ e foi usada por diversas seleções europeias nos últimos meses. No entanto, no Catar, a homossexualidade é proibida e perseguida. Portanto, havia um interesse dos capitães de algumas seleções de utilizar a braçadeira.

Só que a Fifa, sob pressão do governo catari, interviu e pressionou as seleções para não utilizar. Até houve ameaça de punir com cartão amarelo o capitão que entrasse em campo com a braçadeira. Para evitar maiores conflitos, os capitães cederam. No entanto, fora das quatro linhas, algumas autoridades desafiaram o governo do Catar e a Fifa e utilizaram a braçadeira.

Um dos casos foi da Ministra de Relações Exteriores da Bélgica, Hadja Lahbib, que usou a braçadeira “One Love” no camarote ao lado do presidente da Fifa, Gianni Infantino. Fotógrafos que estavam no estádio registraram o momento em que os dois conversaram durante a vitória da Bélgica sobre Canadá, na partida que fechou a quarta-feira (23) de jogos do Mundial.

“Gianni Infantino me explicou por que tomou a decisão de não permitir o uso da pulseira One Love. De acordo com as regras da FIFA, elas não se aplicam nas arquibancadas , tirei minha jaqueta e apresentei minha pulseira”, explicou a Ministra em entrevista à imprensa.

Ela destacou que era desejo da seleção entrar com a braçadeira em campo. “Sei que Eden Hazard (o capitão da equipe) gostaria de usar a braçadeira”, finalizou a Ministra.

Capitães se pronunciam sobre braçadeira

Sete seleções europeias, Inglaterra, País de Gales, Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Holanda e Suíça, queriam utilizar a braçadeira em seus respectivos jogos. No entanto, pela pressão da Fifa, divulgaram um comunicado conjunto informando que não utilizariam o artefato nas partidas.

“A FIFA deixou muito claro que imporá sanções desportivas se os nossos capitães usarem as braçadeiras em campo. Não podemos colocar os nossos jogadores numa posição em que possam enfrentar sanções desportivas, incluindo cartões amarelos, por isso pedimos aos capitães que não tentem usar as braçadeiras nos jogos do Mundial.

Estamos muito frustrados com a decisão da FIFA, que acreditamos ser sem precedentes – escrevemos à FIFA em setembro para informar sobre o nosso desejo de usar a braçadeira One Love para apoiar ativamente a inclusão no futebol, e não tivemos resposta”, informou a nota.

Fonte: Yahoo!

 

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS