9 dezembro 2022 1:18
9 dezembro 2022 1:18

Com parte dos vereadores engessados pelo executivo, o parlamento mirim se tornou uma das piores legislaturas dos últimos tempos em Acrelândia

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

“Vote em mim que eu serei sua voz”!  Geralmente é a frase mais comum de se ouvir durante uma campanha eleitoral, onde os pretensos políticos ao cargo de vereador de Acrelândia gostam muito de vociferar nos quatro cantos da cidade no período eleitoral. Neste período, o povo é prioridade e prometem fazer um verdadeiro papel parlamentar, um autêntico representante e fiscal do povo, nesta narrativa acabam ganhando a confiança e a credibilidade dos eleitores que sonham que terão um político atuante, independente que representarão o povo com isenção.

Porém, estamos falando de políticos com uma narrativa retórica utilizada apenas durante o período eleitoral, já que na prática as coisas mudam da água para o vinho numa velocidade gigantesca.

Em Acrelândia essa narrativa sempre foi motivo de discussão, a câmara municipal de Acrelândia é composta por nove vereadores de partidos diferentes. Sempre estou acompanhando os trabalhos destes parlamentares, suas atuações e seus discursos, que de fato mudaram muito desde que assumiram o posto.

Atualmente a população de Acrelândia se tornou carente de um político que de fato esteja em busca dos interesses de sua comunidade ou simplesmente de fazer aquilo que é de fato e de direito o papel de um parlamentar.

Quem vai à sessão da câmara municipal se depara com dois tipos de políticos, os que apenas bajulam o prefeito e esquecendo-se das suas obrigações, e para piorar são a maioria e que lutam ferozmente para estar mais próximo do chefe do executivo, nunca na história de Acrelândia houve uma câmara tão subserviente que vive de joelhos esperando cair uma migalha da mesa do senhor feudal do município. Não se vê nada de propositivo na atuação dos parlamentares, exceto alguns lampejos de reinvindicações que logo são ofuscados por discursos vazios, somente para massagear o ego do executivo municipal.

Vale ressaltar, que a gestão municipal tem a maioria na câmara, que por sua vez, se portam como verdadeiros lacaios, somente legislando em causa própria. Alguns poucos fazem uma oposição fraca, com argumentos frágeis, além de serem minoria, não conseguem nada digno de nota.

Nesta legislatura os parlamentares não têm vida própria, são vigiados 24 horas pelo executivo, suas atitudes e falas, todas passam pelo crivo do seu chefe, as que não agradam o executivo, logo são cerceadas.

O parlamento atual está distante daquilo que foi prometido na campanha eleitoral, o que se tem hoje é um arremedo de vereadores, existem apenas vassalos com comportamentos nada republicanos. O poder legislativo só existe na teoria, apenas chanceladores da vontade do poder ordenador de despesas. A população está perplexa diante da inércia da atual legislatura, mas 2024 está logo ali, e o povo fará esses vereadores sem compromisso, a recolherem-se a suas insignificâncias de onde nunca deveriam ter saído, e serão sumariamente relegados ao ostracismo.

[Por Adriano Mendes – Acrelândia News – artigo de opinião]

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS