28 novembro 2022 8:01
28 novembro 2022 8:01

Com medo de perder benefícios sociais, acreanos se recusam a responder o Censo; IBGE garante sigilo

Instituto esclarece que responder ao Censo não cancela benefícios sociais. Até o final da última semana, apenas 60% das famílias do Acre tinham respondido ao Censo.

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

No Acre, os recenseadores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estão enfrentando dificuldades em colher as informações do Censo Demográfico 2022. Isso porque muita gente, por desinformação ou fake news, acha que pode ter algum benefício social cancelado, caso participe do estudo.

Vale salientar que não é verdade. As pessoas não podem ter benefícios cancelados ou dados compartilhados, bem como prevê a Lei nº 5.534 de 14 de novembro de 1968, que diz que “o cidadão tem garantido seu direito de sigilo estatístico e seu dever de prestar informações estatísticas ao IBGE”.

A coordenadora de Divulgação do Censo Acre, Andressa Nascimento, esclarece que responder ao Censo não cancela benefícios sociais.

“O recenseado chega na casa do morador e a pessoa diz, ‘não vou responder porque isso vai me fazer perder o Auxílio Brasil’ ou ‘não vou declarar a minha renda, porque vou pagar imposto de renda’. As pessoas acham que pode ter alguma forma de fiscalização nas informações prestadas ao Censo, mas isso não existe. A informações do Censo e de qualquer questionários do IBGE jamais são publicadas de forma individualizada”, explica Andressa.

A população estimada do Acre, em 2021, é de 906.876 pessoas, e os dados são comparados com esta estimativa, e apontam que apenas 60% das famílias já responderam ao Censo Demográfico. O estudo é realizado para entender o perfil dos brasileiros, com quem vivem e como vivem. A pesquisa é feita a cada 10 anos e é utilizada para criação de política públicas, por exemplo.

“O IBGE realiza a coleta de pesquisa há mais de 80 anos. Já são mais de 80 anos de história, sempre preservando o sigilo da informação, e, dessa vez, não vai ser diferente. Até porque é fundamental para que a coleta aconteça”, observa Andressa.

A pesquisa seria, inicialmente, encerrada em 31 de outubro, mas, em decorrência da recusa de muitos acreanos, a data foi prorrogada para o início de dezembro. “O IBGE tem esse compromisso de realizar o censo até o final, estamos trabalhando para que consigamos fechar nesse prazo”, endossou a coordenadora.

A Gazeta do Acre

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS