6 dezembro 2022 11:00
6 dezembro 2022 11:00

Após passar 5 dias em abrigo, menino resgatado ao atravessar ponte sozinho de bicicleta no AC volta pra casa

Decisão da Justiça para que a mãe pudesse retirar a criança do abrigou saiu na quarta-feira (23). Menino foi achado sozinho no Centro da capital na sexta-feira (18).

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Cinco dias após ficar no Educandário Santa Margarida, Artur Miguel Lima da Silva, de 4 anos, voltou para a casa no final da tarde quarta-feira (23). O menino foi encontrado sozinho no Centro de Rio Branco, na sexta-feira (18), de bicicleta e foi levado ao abrigo, onde ficou esses dias.

Na segunda-feira (21), a mãe dele, a autônoma Nataniele Lima da Silva, de 24 anos, recebeu a visita de uma técnica do abrigo e que ainda aguardava a decisão judicial para conseguir levar a criança para casa. Segundo ela, a 2ª Vara da Infância e Juventude emitiu o documento ainda na quarta.

“Precise de uma decisão e ontem [quarta,23] fui buscar ele. Fomos lá retirar ele, porque fizeram a visita e aí logo fizeram o relatório. Ele estava gripado, com febre e agora há está em casa. Agora é redobrar a atenção para não ter mais esse susto”, disse.

Saiu para brincar e sumiu

Artur Miguel saiu de casa na manhã de sexta-feira (18) para brincar de bicicleta e desapareceu. A família mora no bairro Cidade Nova, no Segundo Distrito da capital acreana.

Ao acordar pela manhã, a mãe conta que a porta e o portão da casa estavam abertos e o menino não estava. Inicialmente, uma vizinha disse que ele estava na casa dela brincando, mas depois o menino sumiu e foi achado horas depois já do outro lado do rio, próximo ao Fórum Barão do Rio Branco, no Centro.

Para chegar ao local onde foi achado, ele precisou percorrer cerca de dois quilômetros e atravessar a ponte. Nataniele foi informada que um homem encontrou Artur perdido, ligou para a polícia, que levou a criança para o Conselho Tutelar. De lá, ele foi para o Educandário Santa Margarida.

Enquanto a criança era levada do Conselho Tutelar para o abrigo, a mãe diz que estava a procura pelas ruas do bairro. Ela diz que não sabia mais onde procurar e que nunca imaginou que ele teria atravessado a ponte. Nataniele acredita que Artur se perdeu e não conseguiu mais voltar para casa.

“Nunca na vida eu ia imaginar isso. Acho que ele foi e não soube voltar. Eu costumo levar ele até a Gameleira, a pracinha da Cidade Nova, mas passando dali acho que ele não soube voltar. Quando vi que ele não ia voltar, postei nas redes sociais e liguei para a polícia. Ele não é acostumado a fazer isso, fica brincando em frente de casa, mas não sai dali. Ele estava no conselho tutelar perto de casa, eu nunca imaginei que ele estivesse lá. Passei várias vezes lá pela frente, se tivesse pelo menos visto a bicicleta dele lá eu tinha parado e entrado, mas não vi. Não procuraram a família, tinham que ter procurado para depois mandar para o Educandário”, disse a mãe ao g1.

Fonte: G1ACRE

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS