4 outubro 2022 4:32
4 outubro 2022 4:32

VÍDEO: durante gravação de reportagem, homem descumpre medida protetiva e é preso

Equipe da RPC entrevistava mulher vítima de violência quando ex-marido interfonou no apartamento dela. Defesa do homem disse que 'vai tomar as medidas legais cabíveis'.

Por g1 PR e RPC Curitiba

- Publicidade -

Um homem foi preso em Curitiba nesta quarta-feira (7) após descumprir uma medida protetiva por violência doméstica. Ele interfonou no apartamento da ex-esposa no momento em que ela concedia uma entrevista à RPC sobre os abusos que sofre.

Homem descumpre medida protetiva durante gravação de reportagem e é preso no Paraná

A produção tratava do aumento da violência contra mulheres feriados e fins de semana. Em determinado momento da entrevista, é possível ouvir o interfone tocar. A gravação é interrompida para ela atender. Só depois ela descobre que era ex-marido ligando. Assista acima.

Após a entrevista ser retomada, ela relatou a abordagem do ex-marido.

“Ele interfonou e disse que era ele. Automaticamente eu desliguei”.

O homem que foi preso por descumprimento da medida é Rafael de Pino.

Antes da prisão, ele chegou a abordar a equipe de reportagem. A defesa dele disse que vai tomar as medidas legais cabíveis. Leia mais abaixo.

A vítima, que não será identificada, tem a medida protetiva contra Pino há seis meses.

A mulher também tem acesso ao dispositivo Botão do Pânico, que permite às mulheres com medida protetiva de urgência a possibilidade de acionar a Polícia Militar ou Guarda Municipal com apenas um clique.

A prisão

A equipe de reportagem relatou que, durante a entrevista, o ex-marido da vítima foi até a portaria do prédio onde ela mora e interfonou. Depois, ele ficou nas ruas próximas a casa da ex-esposa.

Homem que foi preso também rondou prédio da vítima — Foto: Reprodução

Após a entrevista, fora do prédio, o homem abordou a equipe de reportagem e questionou se eles estavam no apartamento da mulher.

A ex-esposa acionou a Guarda Municipal, que foi ao local e levou o homem à Delegacia da Mulher, onde foi preso. Ele já tinha sido detido por se aproximar dela em outra ocasião.

À RPC, a vítima contou que a violência começou ataques psicológicos, durante a pandemia, quando eles ainda estavam juntos.

“Foi difícil ele sair de casa, mas quando ele saiu de casa, começou a me perseguir. Ele vinha aqui na rua próximo de casa me espionar com um binóculo, ficava ali parado o dia todo. Alugou um apartamento aqui no condomínio, ficava sentado na minha porta. Se eu saísse, vinha atrás. Se eu conversasse com alguém, ele partia para cima das pessoas”.

A Polícia Militar detalhou a importância de mulheres denunciarem a violência que sofrem. Ressaltou, também, que não apenas os casos de violência física que podem ser denunciados.

“Como exemplo podemos citar a violência moral, a patrimonial, a psicológica e até mesmo a sexual”, disse a capitã Carolina Zancan.

Violência aumenta em feriados e fins de semana

Dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) revelam que o número de casos de violência doméstica é 43,76% maior nos fins de semana, na comparação com dias de semana. Nos feriados, a incidência do crime também aumenta.

Em junho deste ano, mais de 17% dos casos de violência doméstica se concentraram nos quatro dias do feriado de Corpus Christi. Em abril, os três dias do feriado de Páscoa concentraram 13,65% dos boletins de ocorrência registrados por esse tipo de infração, informou a Sesp.

No primeiro semestre de 2022, o Paraná teve 28.229 ocorrências de violência contra mulheres. Apenas em Curitiba foram 3.793 registros.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS