2 outubro 2022 9:12
2 outubro 2022 9:12

Setembro amarelo: como saber que meu filho precisa de terapia?

Psicólogos explicam sinais que indicam necessidade de ajuda profissional para crianças e jovens

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Foi com apenas 7 anos que Tainá descobriu que a família passaria por um demorado divórcio por conta do alcoolismo de seu pai. Depois de testemunhar a irmã, Lúcia, sendo vítima de violência doméstica pelo genitor, a criança entrou em pânico e não conseguiu mais socializar com os amigos e parentes, além de ter pesadelos constantes com o acontecimento.

Desesperada com a repentina mudança de comportamento da filha, a assessora de imprensa Carla percebeu que a menina precisava de ajuda profissional. “Eu senti que não conseguia mais lidar sozinha com esse problema. Era hora de soltar o controle da situação”.

Alguns meses depois, o diagnóstico: Tainá* sofria de transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) e, em decorrência do trauma, também tinha transtorno de ansiedade. “Foi terrível, é claro que foi. Mas senti que, a partir dali, a minha filha ia conseguir aceitar ajuda. Foi ali que começamos oficialmente a psicoterapia com ela”. Com ajuda da psicóloga, a criança agora consegue lidar com alguns aspectos de seu passado. “Ela agora voltou a socializar, e está sorrindo de novo”.

O diagnóstico de Tainá* não é único. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 10% das crianças e jovens de 5 a 16 anos têm um problema mental clinicamente diagnosticável, e a maioria não consegue buscar ajuda para a melhora desse quadro.

Saúde mental infantil

A discussão ao redor da saúde mental como necessidade ainda é recente, ainda mais se considerada na ótica da psicoterapia infantil. Dados da OMS constatam que metade das doenças mentais começam a se desenvolver até os 14 anos de idade.

Fonte: IG

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS