22 setembro 2022 5:50
22 setembro 2022 5:50

SEPLAG: Para comprar um sacolão, acreano tem que trabalhar 105 horas

“Para comprar as três cestas, em agosto um trabalhador comum precisou trabalhar cerca de 105 horas e 46 minutos”, informa a Seplag.

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Em agosto, o preço da banana caiu 11,56% no custo total da cesta básica em Rio Branco. Além da fruta, a farinha de mandioca, cujo preço caiu 6,51%, foram os itens com maior percentual de aumento de preço em relação a julho, enquanto o tomate (-8,75%) e o óleo (-7,18%) foram os itens que apresentaram maior queda.

São três cestas pesquisadas: alimentar, higiene pessoal e limpeza.

Segundo a pesquisa dos custos das cestas básicas em Rio Branco realizada pela Secretaria de Planejamento, houve queda de -3,51% na cesta de higiene pessoal e leve alta no valor das cestas de alimentação (0,23%) e de limpeza doméstica (0,49%), quando comparadas ao mês de julho.

Os dados foram coletados em 69 estabelecimentos comerciais, compostos por mercados varejistas de grande, médio e pequeno porte, açougues e panificadoras, distribuídos em 40 bairros de Rio Branco.

O custo total da cesta básica alimentar para um indivíduo foi de R$ 493,90, uma alta de 0,23% em relação a julho, conforme a tabela 1. Dos 14 produtos da cesta, houve alta de preços em 8 itens, sendo -conforme já citado – na banana o mais expressivo (11,56%), seguido pela farinha de mandioca (6,51%), leite (5,72%), mandioca (4,67%), manteiga (3,24%) e frango (1,28%). Em seis produtos houve recuo de preço, com destaque para o tomate que registrou variação negativa de -8,90%, seguido pelo óleo (-7,18%), carne (-1,98%), pão (-1,88%) e feijão (-1,16%). Os dados mostram que após dois meses de queda em 2022, a cesta alimentar voltou a subir em julho e agosto.

“Para comprar as três cestas, em agosto um trabalhador comum precisou trabalhar cerca de 105 horas e 46 minutos”, informa a Seplag.

Fonte: AC 24 Horas
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS