5 outubro 2022 10:20
5 outubro 2022 10:20

Quase 100 boletins de ocorrência por derrubadas e queimadas são registrados no Acre nos últimos 30 dias

Além disso, foram fiscalizadas quase 100 hectares de áreas, com resultado em apreensões de armas, animais entre outros.

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Desencadeada ainda no mês de julho no Acre, a operação “Guardiões do Bioma” tem feito uma série de ações de combate ao desmatamento e queimadas ilegais, seja em áreas públicas ou privadas do estado. Em apenas 30 dias, contabilizou 98 boletins de ocorrências devido a estas práticas ilegais.

Os dados parciais foram repassados ao site A GAZETA pelo Batalhão Ambiental da Polícia Militar (BPA), e correspondem ao período de 8 de agosto a 8 de setembro. Também foram feitos flagrantes e quase 100 hectares de áreas foram fiscalizadas.

“O objetivo é minimizar os danos, embora a gente veja que tem uma proporção grande de área desmatada e queimada e muito por influência das áreas invadidas também, tanto em áreas públicas como privadas”, disse o comandante do BPA, major Kleison Albuquerque.

A operação de combate a incêndios e queimadas florestais é do Ministério da Justiça e Segurança Pública, e coordenada, no Acre, pela Secretaria Estadual de Planejamento (Seplag), com envolvimento também da PM,  IBAMA, ICMBIO, IMAC, SEMAPI.

Além dos boletins de ocorrências registrados, foram contabilizadas 16 operações, tanto de fronteira, como contra o desmatamento e queimadas, desencadeadas nesse período de 30 dias, em várias localidades no estado.

Veja balanço das ocorrências:

  • 16 operações realizadas – Guardiões das Fronteiras, Guardiões do Bioma-Desmatamento e Guardiões do Bioma-Incêndios;
  • 8 Termos Circunstanciado de Ocorrência (TCO);
  • 98 Boletins de Ocorrências;
  • 17 pessoas flagranteadas;
  • 5 motosserras apreendidas;
  • 1 trator apreendido;
  • 39,38 metros cúbicos de madeira apreendida;
  • 58 polígonos de desmate fiscalizados, totalizando mais de 978 hectares;
  • 2 armas de fogo apreendidas;
  • 44 animais apreendidos.
    Operação ocorre no Acre desde julho

“Nós não paramos nesse período que foi bem complicado, como todo mundo está acompanhando. O dia sete de setembro foi o dia que teve o maior índice de fumaça, de material particulado no ar, e a gente estava em campo”, acrescentou.

As ações nesta terça-feira (13), se concentram em vários pontos como a Resex Cajumbá, Iracema, com o ICMBIO. Também tem agentes na região de Manoel Urbano até Feijó; Acrelândia, com o pessoal do IMAC, além das outras que já estavam acontecendo, como em Cruzeiro do Sul.

“Com as forças que nós temos, o objetivo foi combater, dar uma resposta para esse período mais crítico”, concluiu.

Fonte/ A Gazeta do Acre

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS