28 setembro 2022 12:52
28 setembro 2022 12:52

PT sobre assassino com tatuagem de Lula: “Condenamos toda violência”

Homem matou ex-mulher e filha. Em nota, presidente da sigla condenou posse de armas e se solidarizou com as vítimas do assassinato

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

O Partido dos Trabalhadores (PT) se manifestou nesta segunda-feira (13/9) sobre a prisão de Ezequiel Lemos Ramos, de 39 anos. O homem matou a ex-mulher e o filho, a tiros, em frente a uma escola infantil, e tem no braço esquerdo uma tatuagem com o rosto do candidato à Presidência da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Na nota, divulgada no site do partido, a presidente da sigla, Gleisi Hoffman, condena a posse de armas e se solidariza com as vítimas do assassinato.

“O incentivo à violência e a liberação, pelo governo federal, da compra, posse e porte de armas estão na raiz de crimes e tragédias como a que ocorreu ontem no Parque São Rafael, em São Paulo”, diz o texto.

“Condenamos toda forma de violência, qualquer que seja a orientação política de quem a comete. Defendemos a apuração rigorosa do crime, para que a Justiça seja feita e tragédias assim não se repitam.”

A nota ainda critica medidas de Jair Bolsonaro (PL) que, segundo o PT, limitaram os recursos de combate à violência contra a mulher.

Veja a nota na íntegra:

“O incentivo à violência e a liberação, pelo governo federal, da compra, posse e porte de armas estão na raiz de crimes e tragédias como a que ocorreu ontem no Parque São Rafael, em São Paulo. O PT está solidário com os familiares das vítimas.

Condenamos toda forma de violência, qualquer que seja a orientação política de quem a comete. Defendemos a apuração rigorosa do crime, para que a justiça seja feita e tragédias assim não se repitam.

Temos a Lei Maria da Penha e do Feminicídio com previsão de mecanismos de proteção às mulheres vítimas de violência, que precisam ser implementados.

Os recursos de combate à violência contra a mulher, cortados por Bolsonaro, precisam ser recolocados no Orçamento da União.

Reafirmamos que a política de armamento no Brasil deve ser revista.

Pela Paz,

Pela Vida!”.

Metrópoles

 

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS