27 setembro 2022 10:12
27 setembro 2022 10:12

Para pagar tratamento da irmã, libanesa vira ‘heroína’ e viraliza nas redes após assaltar banco

Por RFI

- Publicidade -

Uma mulher libanesa assaltou um banco em Beirute nesta quarta-feira (14) e escapou com milhares de dólares que servirão, segundo ela, para financiar o tratamento hospitalar de sua irmã doente. Sali Hafiz foi imediatamente considerada uma “heroína” pelos libaneses, que viralizaram o vídeo do assalto nas redes sociais, num país massacrado pela corrupção da classe dirigente e onde é praticamente impossível retirar dinheiro na rede bancária ou em caixas automáticos.

“Meu nome é Sali Hafiz, vim hoje (…) recolher os depósitos da minha irmã que está morrendo no hospital”, diz no vídeo. “Não vim para matar ninguém ou iniciar um tiroteio. (…) Vim reivindicar meus direitos”, acrescenta.

O Líbano registra uma série de assaltos de clientes cujas economias foram bloqueadas em bancos há quase três anos, devido à grave crise econômica do país. A falta de liquidez transforma em um calvário operações simples como a retirada de dinheiro em um caixa eletrônico.

A mulher imediatamente se tornou uma heroína nas redes sociais no Líbano, onde muitos estão desesperados por seu dinheiro e irritados com o sistema bancário, que consideram corrupto.

Onda de “assaltos”

A segunda mulher que aparece no vídeo afirma ter sacado mais de US$ 13.000. Outro homem atrás carregava o que pareciam ser maços de notas enroladas em plástico.

Um correspondente da agência AFP no local disse que gasolina foi jogada dentro do banco durante o assalto. Uma arma também foi encontrada no chão, embora não tenha ficado imediatamente claro, segundo testemunhas, se era real.

O jornalista disse que Hafiz e seus supostos cúmplices conseguiram escapar por uma vidraça quebrada, antes da chegada das forças de segurança. O assalto durou menos de uma hora.

No mês passado, um libanês despertou simpatia dos internautas e da população libanesa depois de assaltar um banco em Beirute com uma arma e reter funcionários e clientes por horas para obter parte de seus US$ 200.000 em ativos congelados, com os quais queria pagar as contas do hospital de seu pai doente. O homem foi preso, mas rapidamente liberado.

Em janeiro, outro cliente deteve dezenas de pessoas no leste do Líbano depois de saber que não poderia sacar suas economias em moeda estrangeira. A imprensa local informou que ele conseguiu reaver uma parte de suas economias e se entregou às forças de segurança.

O Líbano mergulhou em 2019 em sua pior crise econômica. A moeda local perdeu quase 90% de seu valor no mercado paralelo e a pobreza e o desemprego dispararam.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS