4 outubro 2022 9:15
4 outubro 2022 9:15

Ney propõe Novo hospital do câncer e maior participação das pessoas no seu mandato

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Em campanha pelos municípios do Vale do Juruá, o candidato ao Senado pela coligação ‘Avançar para Fazer Mais’ Ney Amorim (Podemos) afirmou que fará um mandato voltado, principalmente, para as pessoas que sofrem com a falta de estrutura para o tratamento de câncer no estado. O candidato do governador Gladson Cameli destaca ainda que o seu trabalho em Brasília terá a participação maciça dos acreanos, por meio do Planejamento Estratégico de Mandato, o PEM.

O PEM é um mecanismo importante de cidadania que vai permitir que a população participe efetivamente das decisões do seu mandato. “Esse será o meio pelo qual as pessoas vão ajudar a decidir onde vamos investir recursos do nosso mandato, nos municípios e comunidades do nosso estado“, pontua Ney, o candidato que mais cresceu nas intenções de voto para o Senado, segundo as últimas pesquisas.

Quanto ao novo hospital do câncer de Rio Branco, o objetivo é preencher a lacuna que existe no estado no acesso a exames e tratamentos eficientes. “É preciso termos uma estrutura grande e capaz de dar condições para que os profissionais possam realizar um trabalho de excelência”, ressalta Ney Amorim.

“Esse é o grande desejo da nossa população, que é a de ter possibilidade de acesso a exames e tratamentos com eficiência”, completa ele, que perdeu sua mãe, a dona Maria das Graças, para a doença.

“Minha família, assim como muitas, sabe o quanto essa doença causa dor, sofrimento e angústia. E é notório que essa causa precisa da ajuda de todos os agentes públicos do nosso estado. Por isso, eu quero trabalhar com todas as minhas forças, do primeiro ao último dia da minha vida pública, para ajudar a mudar essa realidade”, explica o candidato da coligação encabeçada pelo governador Gladson Cameli.

O compromisso dele será o de destinar recursos de emendas pessoais para fazer o projeto executivo e junto ao governador Gladson, conseguir o terreno.

“Por minha mãe amada e querida, essa será a minha luta de vida!”, vocifera Ney Amorim em tom de compromisso com as pessoas.

Outras duas grandes propostas de Ney no Senado

Renda mínima para quem preserva a floresta – “Nosso estado tem a essência do Brasil de verdade. Somos um povo que garante e mantém parte da riqueza mais importante do nosso país. Mas nossa gente vive sem reconhecimento e sem condições de vida dignas.

Nossas famílias, que vivem nas áreas de floresta precisam ser reconhecidas como as que mantêm nossa Amazônia de pé. Moram na terra mais rica do planeta, mas estão empobrecidas.

Eu quero mudar isso! Junto com você e com a sua participação.

Vou apresentar um projeto que garanta renda justa para os povos da floresta para que possam dar dignidade às suas famílias e possam ajudar a cuidar da floresta.

Eu falo de um salário mensal e condições de saneamento para que nenhum pai e nenhuma mãe de família viva angustiado por não poder dar dignidade aos seus filhos.

Esse é o projeto mais necessário na luta pela preservação do nosso maior patrimônio. A Floresta Amazônica.

O dinheiro tem que chegar para quem precisa dele para sobreviver dignamente e assim possa ser responsável por preservar e mais do que isso, cuidar para que não outros oportunistas venham roubar as riquezas e sabedorias da nossa maravilhosa floresta”.

Valorização do homem do campo – Outro ponto que merece destaque em suas propostas para um Acre melhor diz respeito à valorização dos produtores rurais. Neste sentido, Ney Amorim entende que é preciso recuperar o crédito dessas pessoas para que possam voltar a trabalhar dignamente.

“Grande parte, ou mesmo a maioria, dos nossos pequenos produtores rurais estão impedidos de trabalhar, de desenvolver suas atividades porque estão trancados por conta de dívidas geradas por multas do Ibama e do ICMBio.  Com isso, não têm acesso a créditos e financiamentos, o que promove o empobrecimento e a incapacidade de gerir sua produção”, pontua o candidato ao Senado.

“Portanto, como senador, vou abrir essa discussão e mostrar o quanto isso tem destruído empregos e gerado uma questão social lamentável no interior do estado. Minha proposta para o Ministério da Agricultura e para o Governo é fazer com os pequenos produtores massacrados o mesmo que foi feito com os estudantes do FIEs, com a renegociação de dívidas”, completa Ney.

E ele ainda mais além: “Quero atuar forte para que o programa Terra Brasil possa acelerar a regularização dos títulos de propriedade para as famílias que não são donas de suas terras. Com isso vamos criar possibilidades de acesso a crédito para investir na produção”.

”Inclusão social, a causa da minha vida”, afirma Ney

“Todos sabem que a inclusão social é um tema que sempre ocupou atenção em meus mandatos públicos e sempre será prioritário. Meu filho Juninho me ensina todos os dias que não posso descansar um só minuto, em relação a isso.

Por isso, sei de todas as dificuldades e necessidades que passam as famílias, iguais a minha, para que seus filhos possam viver entre todos.

Quero construir um grande projeto em nosso estado, ao lado dos grupos que auxiliam famílias e pessoas com as mais diferentes necessidades. Sejam Downs, autistas, ou pessoas com necessidades físicas, auditivas ou visuais, vou colocar meu mandato de Senador a serviço e da busca constante de mais possibilidades de, não apenas incluir, mas oferecer apoio e ajuda às famílias para que vivem a alegria de conviver com seus filhos”.

Fonte/ Jornal Opinião

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS