7 outubro 2022 2:57
7 outubro 2022 2:57

Luísa Sonza anuncia acordo, mas não se desculpa em processo que responde por injúria racial

Apesar de a artista anunciar que fará um acordo com a vítima, usuários apontaram que Luísa não se desculpou pelo suposto ato em nenhum momento do comunicado.

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Após a web pressionar Luísa Sonza por causa de um processo que a cantora responde por injúria racial, ela se manifestou oficialmente na segunda-feira (19/9). Apesar de a artista anunciar que fará um acordo com a vítima, usuários apontaram que Luísa não se desculpou pelo suposto ato em nenhum momento do comunicado.

“Me dei conta de que todos, até mesmo pessoas como eu, que se reconhecem como aliadas a questões sociais, precisam sempre estudar mais e buscar por mais conhecimento e ainda mais empatia. Estou lidando com essa situação como uma oportunidade para tentar ser melhor, como sempre tentei fazer todas as vezes que alguma coisa aconteceu comigo, publicamente ou não. Por isso, a minha decisão é solicitar uma audiência especial para resolver amigavelmente o processo, acatando o valor (solicitado) da autora”, anunciou por meio de suas redes sociais.

Apesar do pronunciamento da artista, a web não poupou Luísa Sonza de críticas, uma vez que, mesmo acatando o valor do processo, a cantora não se desculpou em nenhum momento pelo suposto ato de injúria racial. “Me chamou a atenção que Luísa Sonza, processada por atitude racista, fez essa nota sem pedir desculpa para a vítima”, disse um internauta.

Leia o comunicado de Luísa Sonza completo:

“Gente, eu tô acompanhando tudo, e o meu silêncio nesses dias não é porque não queria falar sobre o assunto, mas porque eu precisava desse tempo para refletir melhor algumas questões que eu dominava, mas me dei conta que não.

Quero agradecer vocês que, com razão, me cobraram, e dizer o quanto tudo isso foi importante para mim. Aprendi a ver, mais a fundo, a história por outra perspectiva e perceber a dor do outro. Me coloquei no lugar. E entendi que precisa ser sempre assim.

Me dei conta de que todos, até mesmo pessoas como eu, que se reconhecem como aliadas a questões sociais, precisam sempre estudar mais e buscar por mais conhecimento e ainda mais empatia. Estou lidando com essa situação como uma oportunidade para tentar ser melhor, como sempre tentei fazer todas as vezes que alguma coisa aconteceu comigo, publicamente ou não. Por isso, a minha decisão é solicitar uma audiência especial para resolver amigavelmente o processo, acatando o valor (solicitado) da autora.

Eu não tenho medo de colocar meus privilégios, que reconheço que tenho, à disposição para chamar atenção pra essas questões sociais e tentar diminuir qualquer tipo de discriminação.

Por fim, quero esclarecer que esse caso veio a público em 2020, quando foi aberto, e é um processo de danos morais – não estou respondendo por processo criminal, como foi divulgado, e não há nenhum outro em andamento”.

Relembre o caso 

Em entrevista ao site Notícia Preta em 2020, Isabel revelou que, durante uma viagem a Fernando de Noronha em 2018, Luísa Sonza teria segurado seu ombro e pedido um copo d’água, supondo que a mulher fosse uma funcionária do local.

“Era meu aniversário, eu tinha viajado sozinha e estava dançando, me divertindo e aproveitando a festa. Por um acaso parei atrás da Luísa. No evento tinham vários famosos, mas nem sabia quem era ela. Nunca tinha ouvido falar. Foi então que ela virou, bateu no meu ombro e disse ‘Pega um copo d’água pra mim?’. Eu respondi que não tinha entendido, ela repetiu a frase e completou ‘Você não trabalha aqui?’”, relatou a vítima.

Isabel relata que retrucou a cantora e frisou que Sonza nunca teria a mesma atitude se uma pessoa branca estivesse em seu lugar: “Na hora, eu disse a ela que ela nunca sentiria o que eu estava sentindo, pois ela nunca seria confundida com as pessoas que servem nas festas que ela frequenta. Não é demérito algum ser empregada, eu mesma já fui doméstica, a questão é por que a branquitude sempre nos enxerga nessa posição de serviçal? Por que nos entendem como pessoas que só podem servi-los mas nunca como pessoas que podem consumir, viver e viajar como eles?”, indagou.

A defesa de Luísa Sonza, no entanto, pediu a extinção do processo alegando que Isabel atua de má-fé, pois deseja “usufruir de vantagens financeiras e obter seus cinco minutos de fama”. A própria cantora negou o ocorrido em 2020 quando o caso foi revelado: “Gente, tudo isso é mentira! Eu jamais teria esse tipo de atitude. Vocês me conhecem bem, sabem qual é o meu caráter, minha índole”.

Metrópoles
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS