4 outubro 2022 8:14
4 outubro 2022 8:14

Fugindo das queimadas, bicho-preguiça é encontrado em quintal de casa no bairro Floresta

Moradora conta que tentou levar o animal para um terreno baldio, para que ele retornasse ao seu habitat, mas o bicho estava tão cansado, que acabou dormindo. Segundo ela, a casa fica próxima a uma área de mata, onde foram registradas muitas queimadas, nos últimos dias

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

A jornalista Ana Paula Batalha foi surpreendida com uma visita inesperada, na manhã desta sexta-feira, 23. É que um bicho-preguiça surgiu no quintal da casa dela, no Bairro Floresta, em Rio Branco. Ela acredita que o animal se afugentou do seu habitat devido ao efeito das queimadas.

“Estava dentro de casa e ouvi os cachorros latindo, e avançando. Fui ver o que era, e estava a preguiça, em cima do muro. Aí, prendi os cachorros e a tirei de lá”, contou.

Em um vídeo gravado pela jornalista, o animal está segurando na cerca e recebe um carinho, encara a moradora e estende uma das patas.

Ana disse que pegou uma ripa para tirar o bicho do muro e levá-lo para um terreno baldio, para, de lá, ele poder voltar para a mata, mas, de tão cansada que estava, a preguiça acabou dormindo e, assim, ela a deixou descansar.

“Vi que ela estava bem cansadinha, e peguei uma ripa pra levá-la pro outro quintal, que é baldio. Só que ela dormiu, e ficou até o começo da manhã dormindo”, acrescentou.

Como a região onde mora é uma área de mata, a jornalista disse que não acionou os bombeiros, porque o animal deve retornar para lá depois do descanso.

“Aqui onde moro tem muita mata e teve muita queimada, nestes últimos dias. Ontem [quinta, 22], não vi se teve, mas acho que deve ser consequência das queimadas, os bichinhos vão saindo da mata”, concluiu.

Efeito das queimadas nos animais

Em um período de apenas dois meses, julho e agosto, quando as queimadas começaram a se intensificar no Acre, 461 animais silvestres foram resgatados pelo Corpo de Bombeiros no estado.

Os dados apontam um aumento de 1,4% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram resgatados 425 animais.

“Nesse período, a fuga de animais da áreas de vegetação aumenta muito. Então, as nossas ocorrências são de captura e resgate de animais”, disse o coordenador da Operação Fogo Controlado do Corpo de Bombeiros, tenente Francisco Carlos Freitas Filho.

A Gazeta do Acre

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS