24 setembro 2022 4:27
24 setembro 2022 4:27

Em Rio Branco, crianças, Jovens e adultos ganham aulas gratuitas de Kung Fu em Rio Branco

Aulas são realizadas nos bairros Aeroporto Velho, Bahia e Vila Ivonete.

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Com objetivo de oferecer esporte e bem estar a crianças, jovens e adultos, um projeto social leva aulas de kung fu a vários bairros da periferia de Rio Branco. O programa é uma iniciativa da Super Liga Acreana de Kung Fu e já acolhe mais de 100 alunos.

De acordo com um dos coordenadores do projeto, Nil Figueiredo, o objetivo é incluir o esporte na vida de crianças, jovens e adultos, oferecendo uma atividade física saudável e oportunidade de se praticar um esporte de forma gratuita.

“Esse projeto já existe a mais de duas décadas. Já chegamos a ter mais de 25 núcleos espalhados pelo Acre. Hoje estamos retornando nossas atividades depois da pandemia do novo coronavírus. O Kung Fu é um esporte de inclusão da nossa juventude e oportunidade para os adultos praticar um esporte saudável. Estamos novamente plantando uma semente do bem através desta arte marcial”, disse Figueiredo.

As aulas são ministradas por professores cadastrados na Super Liga e de forma gratuita. Gleyson Figueiredo é professor no núcleo do Horto Florestal e fala da alegria em poder levar o Kung Fu a outras pessoas.

“É gratificante saber que estou ajudando a construir uma comunidade melhor, com cidadãos de bem. Espero ampliar a turma daqui para frente. Tudo que sei do Kung Fu aprendi de graça e de graça que repassar meu conhecimento”, disse.

O retorno

A prática do Kung Fu no Acre teve sua expansão meados dos anos 2000. Um projeto ousado da Super Liga Acreana de Kung Fu que pretendia levar essa arte marcial aos quatro cantos do Acre de forma gratuita deu certo.

“Conseguimos formar professores e instrutores em vários municípios do Acre para levar o Kung Fu aos jovens e crianças do nosso estado. O objetivo sempre foi formar cidadãos do bem e atletas de alto nível. Acho que esse foi um dos maiores legados que a Super Liga vai deixar”, ressaltou Glenilson.

O retorno, segundo o coordenador, se deu após a diminuíção da pandemia da Covid-19, que infoectou mais de 180 mil acreanos. Para ele, surgiu a necessidade de tirar os jovens, crianças e adultos de casa para praticar esporte e dá uma nova rotina depois do vírus.

“Todos nós estávamos dentro de casa sem poder fazer qualquer atividade física e isso estava se tornando prejudicial fisicamente e mentalmente. Com a diminuição dos casos e respeitando todas as recomendações de saúde, resolvemos iniciar de forma gradativa nossas atividades e isso tem sido importante para todos”, afirmou.

Quer participar?

Mais informações sobre o projeto e dias das aulas é entrar em contato pelo instagram @gleysonaraujofiq @figueiredo.glenilson

Fonte/ Jornal Opinião

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS