3 outubro 2022 8:17
3 outubro 2022 8:17

Em condomínio gatos são torturados e mortos com requintes de crueldade

Moradores afirmam que alguns dos animais foram esquartejados e tiveram a cabeças cortadas; Polícia Civil investiga o caso

Por O Tempo

- Publicidade -

Moradores de um condomínio no bairro Caiçara, na região Noroeste de Belo Horizonte, denunciam o assassinato de cerca de 10 gatos no local, em pouco mais de um mês. Segundo relatos, os animais foram mortos com requintes de crueldade. Alguns dos bichinhos foram esquartejados e outros envenenados. Há também o caso de um filhote que foi encontrado com a cabeça cortada, a barriga aberta e as vísceras de fora. A Polícia Civil investiga o caso.

A empresária Maria Magalhães relata o cenário de horror e tristeza que tomou conta do lugar. A gata dela, July, de 5 anos, foi um dos bichinhos mortos. De acordo com ela, a família mora no primeiro andar de um dos edifícios. Por vezes, diz ela, a gatinha transitava nas áreas comuns do prédio, mas não saía das proximidades. No último dia 14, July foi encontrada morta, com sinais de envenenamento.

“É um prédio tradicional, antigo. A maioria dos moradores se conhecem desde crianças. O que aconteceu é algo desumano. Ninguém nunca chegou a reclamar nem dos gatos e nem dos cachorros dos prédios. Quase todo mundo lá tem algum bichinho de estimação. Inclusive, os moradores têm o costume de colocar água e ração para os animais lá”, diz.

Maria conta que July era uma das maiores companheiras do pai, depois que ele ficou viúvo, e que o idoso foi muito impactado pelo o que aconteceu. “Precisamos parar a pessoa ou as pessoas que fizeram isso. Alguém abriu a barriguinha de um dos gatos, que também estava com a cabecinha pendurada. Nosso maior apelo é por investigação. Os lugares onde os animais foram achados mortos são os mesmos onde crianças e idosos transitam”, afirma.

Investigações

Em nota, a Polícia Civil de Minas Gerais informou que instaurou procedimento investigativo ao tomar conhecimento de maus-tratos a gatos ocorridos no condomínio. “A Autoridade Policial requisitou exames periciais e os trabalhos investigativos estão em andamento pela Delegacia Especializada em Investigação de Crime Contra a Fauna”, informou.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS