29 setembro 2022 12:07
29 setembro 2022 12:07

Conheça a barata ciborgue que funciona a controle remoto sem fio e a bateria solar

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Cientistas do Instituto de Pesquisas Naturais RIKEN, no Japão, desenvolveram um sistema que transforma baratas em ciborgues, parte inseto e parte máquina, que podem ser controlados remotamente por meio de um módulo de controle sem fio, alimentado por uma célula solar.

Segundo os pesquisadores, apesar do aparato mecânico, os dispositivos eletrônicos ultrafinos e os materiais flexíveis permitem que as baratas se movimentem livremente, podendo ser usadas na inspeção de áreas perigosas ou no monitoramento do meio ambiente.

“O módulo de célula solar orgânica ultrafina montado no corpo da barata atinge uma potência de 17,2 mW, que é mais de 50 vezes maior do que a potência dos atuais dispositivos de coleta de energia de última geração aplicados em insetos vivos”, explica o engenheiro mecânico Kenjiro Fukuda, autor principal do estudo.

Barata ciborgue

Para transformar um inseto em um ciborgue, os cientistas desenvolveram uma mochila especial que pudesse carregar os módulos de células solares orgânicas, além de um sistema de adesão capaz de manter todo o maquinário conectado pelo maior tempo possível, sem prejudicar os movimentos naturais da barata.

Esquema de montagem da barata ciborgue (Imagem: Reprodução/RIKEN)
Esquema de montagem da barata ciborgue (Imagem: Reprodução.

Essa mochila impressa em 3D se acomodou perfeitamente à superfície curva do corpo de uma barata com aproximadamente 6 cm de comprimento, prendendo tanto o módulo de controle, quanto a bateria feita à base de polímero de lítio, no tórax do inseto por mais de um mês.

“A aplicação de uma célula solar orgânica ultrafina e flexível, além da forma como ela foi fixada no inseto, foram suficientes para garantir a liberdade de movimento da barata, que possui um abdômen que muda de forma, com partes do exoesqueleto que se sobrepõem enquanto ela caminha”, acrescenta Fukuda.

Controle remoto

Com todos os componentes eletrônicos integrados ao corpo da barata, os pesquisadores utilizaram fios elétricos para estimular os segmentos nas pernas do inseto, permitindo que ele fosse controlado à distância enquanto era comandado a seguir por direções variadas.

Cientistas usaram um controle remoto para comandar os movimentos da barata (Imagem: Reprodução/RIKEN)
Cientistas usaram um controle remoto para comandar os movimentos da barata (Imagem: Reprodução.

A bateria de polímero de lítio foi carregada por uma luz solar artificial por aproximadamente 30 minutos. Após esse período, os pesquisadores conseguiram fazer com que a barata ciborgue virasse à esquerda e à direita e continuasse caminhando, usando um controle remoto sem fio.

“Considerando a deformação do tórax e do abdômen durante a locomoção, um sistema eletrônico híbrido de elementos rígidos e flexíveis parece ser eficaz para baratas ciborgues. Além disso, como essa característica não é exclusiva das baratas, esse sistema pode ser adaptado a outros insetos como besouros, ou talvez até insetos voadores como cigarras”, encerra Fukuda.

Fonte: Canaltech

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS