2 dezembro 2022 1:56
2 dezembro 2022 1:56

Bolsonarista é esfaqueado e morre após briga de bar

A Polícia Civil de Rio do Sul investiga se o crime foi cometido após uma discussão por questões políticas

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Um homem morreu após ser esfaqueado durante briga em um bar de Rio do Sul, no Vale do Itajaí, em Santa Catarina. A Polícia Civil do estado investiga se o crime teria acontecido após uma discussão por questões políticas. Hildor Henker, de 34 anos, usava uma camisa em apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PL). Ele chegou a ser levado para o hospital no sábado, mas faleceu nesse domingo.

Segundo o boletim de ocorrência, o crime ocorreu por volta das 16h30. Os envolvidos estavam bebendo juntos e, em determinado momento, começaram a discutir. De acordo com testemunhas, não havia parentesco entre os dois homens.

Henker levou uma facada que atingiu a artéria femoral, segundo a Polícia Militar. O suspeito, de 58 anos, fugiu do local e ainda não foi localizado.
O caso é tratado como homicídio e será investigado pela Polícia Civil, que ainda não confirmou a motivação do crime. Há suspeita de desentendimento por questões políticas, já que Henke estava vestido com uma camisa em apoio a Bolsonaro (PL). Além disso, o suspeito de cometer o crime seria apoiador do Partido dos Trabalhadores (PT).
Durante a discussão, o suspeito teria dado um tapa no rosto da vítima, que o pegou pelo pescoço e o levou para fora do bar. Ao voltarem para dentro do estabelecimento, testemunhas viram que um dos homens já estava sangrando.

O suspeito teria entrado em um carro e fugido do local. A vítima foi atendida pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada ao Hospital Regional de Rio do Sul. Ontem, a família confirmou a morte de Henker .
O Instituto Nacional de Erradicação Escola e Social (Ineces), responsável pelo Centro de Atendimento Socioeducativo Provisório (Casep) em Rio do Sul, onde Henker trabalhava, divulgou uma nota lamentando o episódio.
O supervisor no Casep era funcionário do local há três anos “e era muito querido pelos colegas da unidade”, segundo a nota
“O INECES se solidariza com colegas de trabalho, amigos e familiares de Hildo nesse momento de dor.”

Outro caso

Um crime semelhante aconteceu também no sábado, em um bar localizado em Cascavel, no Ceará. Um homem entrou no estabelecimento e matou outro por ele dizer que iria votar no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).
Segundo a denúncia, o criminoso teria chegado transtornado no local e gritando “quem é eleitor do Lula aqui?”. Antônio Carlos Silva de Lima, de 39 anos, então, teria dito: “Eu sou!”. Ele foi atingido por uma facada nas costelas e chegou a ser socorrido, mas acabou morrendo. A Polícia Civil de Cascavel investiga o caso.
Estado de Minas
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS