2 outubro 2022 8:32
2 outubro 2022 8:32

Atriz Klara Castanho aciona a Justiça e pede a prisão de Leo Dias e Antônia Fontenelle

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

A atriz Klara Castanho entrou com uma queixa-crime na Justiça acusando o colunista Leo Dias e as youtubers Antônia Fontenelle e Dri Paz pela prática dos crimes de difamação, calúnia e injúria. A pena pode chegar até dois anos de prisão. De acordo com a atriz, os três teriam inventado mentiras a respeito de sua gravidez e espalhado na internet. Klara Castanho disse ainda ter se sentido “humilhada” após ter seu estupro divulgado.

A famosa, de 21 anos, publicou um relato em suas redes sociais revelando que foi estuprada, engravidou e decidiu entregar o bebê diretamente para adoção. Ela se pronunciou depois que uma série de notícias dominaram as redes sociais, após a história vazar do hospital. O colunista Leo Dias foi um dos primeiros a falar abertamente sobre o assunto, abrindo caminho para outros influenciadores.

No texto da ação, ao qual o EM OFF teve acesso com exclusividade, Klara Castanho explica a motivação da queixa-crime. A defesa da atriz relembra, por exemplo, que em junho de 2022, em entrevista ao programa “The Noite”, do SBT, Leo Dias injuriou a famosa, “inferindo que Klara Castanho seria uma atriz ‘que vende uma imagem que todo mundo acha que é santinha’, que tem uma ‘história de trama’ e que o que ela fez é de ‘perder a fé na humanidade’”.

Ainda segundo a defesa da atriz, mesmo sem citar nomes, o colunista “não deixou dúvidas” de que se referia a ela, de modo que “Klara Castanho se sentiu humilhada e revoltada com a forma com a qual ele se referia a ela, atingindo sua honra subjetiva”. Na ação, Klara reforça que não apenas ela, mas diversos jornalistas, que já haviam ouvido a história nos bastidores do “Troféu Imprensa”, dias antes, também entenderam a indireta.

Dias após a entrevista, Leo Dias publicou em sua coluna no portal Metrópoles, um texto intitulado “Estupro, gravidez indesejada e adoção: a verdade sobre Klara Castanho”. Segundo os advogados de Klara Castanho, o colunista ofendeu a honra da atriz e lhe atribuiu “fato ofensivo ao inventar minúcias mentirosas”. A atriz aponta, ainda, que antes de publicar o texto, Leo Dias repassou a mesma informação às youtubers Antônia Fontenelle e Adriana Kappaz, conhecida como Dri Paz.

Após a divulgação do texto, Leo Dias chegou a se retratar numa nota intitulada “Preciso me explicar a vocês e pedir perdão para Klara Castanho”. Para a defesa da atriz, no entanto, a publicação não se trata de um pedido de desculpas, mas sim, uma tentativa de apenas “proteger sua imagem e reputação profissional, sem a ínfima tentativa de se retratar cabalmente do enredo fantasioso e sensacionalista criado por ele e espalhado”.

Youtubers atacam atriz

No texto, a defesa da atriz aponta que no dia 19 de junho de 2022, Adriana Kappaz publicou na rede social Kwai um vídeo intitulado “Polêmica: atriz teen da Globo ficou grávida e deu um fim na criança e ninguém ficou sabendo”, no qual imputa o crime de “abandono de incapaz à Klara Castanho”, quando afirma que “ela teve o filho e pagou para sumirem com a criança” e que “ninguém sabe o que aconteceu com essa criança, ela fez sumirem com a criança”, praticando, assim, os crimes de difamação e calúnia.

No mesmo vídeo, Dri Paz ainda teria relativizado o estupro sofrido pela atriz e inventado que a gravidez seria fruto de um relacionamento com um homem casado. “Essa menina tá alegando pra gente que ela foi vítima de abuso, que essa criança é vítima de um abuso (sic). Eu, eu não posso afirmar, essa parte eu não sei, tá gente? Porém eu não acredito na história do abuso, gente. A história que chegou para mim primeiro foi que essa menina teve relações com um homem aí que é comprometido, casado, não sei. Uma figura pública também muito conhecido que jamais assumiria essa criança. Essa é a história que chegou pra mim”.

Já Antônia Fontenelle teria dirigido ofensas à Klara Castanho ao vivo em seu canal de Youtube, “Na lata com Antônia Fontenelle”. Segundo a defesa da atriz, a youtuber pratica difamação quando afirma em seu vídeo que ela “engravidou, escondeu a gravidez, inclusive trabalhou durante a gravidez, pariu o filho dela e (…) pediu para que o hospital apagasse a entrada dela no hospital e pediu que nem queria ver o filho”.

A ex-esposa de Marcos Paulo ainda voltou a falar sobre o assunto em seu Instagram. Na ocasião, dizem os advogados, Antônia Fontenelle acusou a atriz de abandono de incapaz. “Parir uma criança e não querer ver e mandar desovar pro acaso É CRIME SIM, o nome disso é ABANDONO DE INCAPAZ”, disse a influenciadora num vídeo publicado na rede social.

Com base nos ocorridos, Klara Castanho pediu a condenação dos três pela Justiça, acusando Leo Dias pelos crimes de difamação e injúria, e as youtubers Dri Paz e Antônia Fontenelle pelos crimes de calúnia, difamação e injúria. De acordo com o Código Penal Brasileiro, cada um dos crimes possui penalidades diferentes. No caso da calúnia, por exemplo, a detenção pode ser de seis meses a dois anos, além de multa.

No processo, são citados também os jornalistas Leão Lobo e Matheus Baldi, além de Valença Sotero, diretora da Revista Caras. Eles não são acusados de nenhum crime, mas aparecem como testemunhas de Klara Castanho. Leão Lobo e Valença Sotero teriam ouvido a história contada por Leo Dias nos bastidores do “Troféu Imprensa”, mas nunca divulgaram nada a respeito.

Matheus Baldi, por sua vez, fez uma publicação no seu perfil no Instagram sobre a possível gravidez de Klara Castanho. Porém, o jornalista apagou a publicação pouco tempo depois, a pedido da própria atriz. Na época, o jornalista se desculpou e disse que não sabia do caso de estupro sofrido pela atriz. Em junho, no “Fofocalizando”, ele se defendeu. “Eu apaguei, nunca mais toquei nessa história, não posso ser responsabilizado”.

Em Off, IG
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS