2 outubro 2022 8:50
2 outubro 2022 8:50

Após duas mortes no final de semana, Corpo de Bombeiros do Acre alerta sobre mortes por afogamento no período de seca

Em 2022, de janeiro até os primeiros dias do mês de setembro, foram registrados 12 afogamentos no Estado

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

No último domingo, 4, duas pessoas morreram afogadas na capital acreana. Uma das vítimas tinha 70 anos de idade, e morreu quando foi tomar banho no Rio Acre. A outra, foi um adolescente de 14 anos de idade, que se banhava em um açude localizado na região do bairro Calafate.

Segundo o Corpo de Bombeiros, as causas de afogamento estão relacionadas, principalmente, a falta de conhecimento do local, a não habilidade em nadar, uso de entorpecentes, de bebidas alcoólicas, câimbras, buracos profundos, traumatismo após o mergulho em lugares rasos, doenças cardiovasculares e crise convulsivas.

“Recomendamos cuidados que são básicos, principalmente nessa época de verão extremo, com muitas praias em rios e igarapés, além dos açudes, onde temos uma exposição maior de pessoas se banhando”, frisou o tenente do Corpo de Bombeiros, Alexandre Veras.

Ele ressaltou que os cuidados que devem ser tomados são simples, mas, que infelizmente, não são seguidos pela maioria dos banhistas.

“ Como evitar de ingerir bebidas alcoólicas, principalmente em locais que não tem guarda-vidas, evitar nadar em lugares onde a correnteza é forte, onde você não tem domínio. São coisas básicas que podem salvar vidas, de crianças, jovens e adultos. Quando se deparar com uma situação de afogamento que acionem o Corpo de Bombeiros”, concluiu o tenente Veras.

De acordo com relatório do Corpo de Bombeiros, no ano passado, 45 pessoas foram vítimas de afogamento no Estado. O mês com maior registro foi maio, com 9 casos. Em 2022, de janeiro até os primeiros dias do mês de setembro, foram registrados 12 afogamentos.

A Gazeta do Acre

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS