2 outubro 2022 9:11
2 outubro 2022 9:11

Ao cair no golpe do bilhete premiado idosa perde R$ 230 mil

Segundo a polícia, idosa passeava com o cachorro quando foi abordada. Um dos suspeitos de receber o dinheiro foi preso na Bahia

Por Metrópoles

- Publicidade -

Uma idosa de 65 anos perdeu cerca de R$ 230 mil depois de cair no golpe do bilhete premiado, na capital goiana. De acordo com informações da Polícia Civil, a mulher passeava na rua com seu cachorro, próximo ao condomínio residencial em que mora, no Setor Bueno, área nobre da cidade, quando foi abordada por um homem. Ele dizia não conhecer a cidade e pediu ajuda para resgatar um prêmio que teria ganhado.

O caso foi divulgado pela corporação nesta terça-feira (20/9), no entanto, aconteceu em maio deste ano. Segundo a polícia, um segundo homem abordou a idosa e o suspeito. Ele, então, chegou a fazer uma falsa ligação para confirmar o golpe, afirmando que o bilhete era premiado e depois ofereceu à mulher a compra do mesmo.

A idosa concordou e foi levada pelos golpistas ao banco. Conforme a corporação, a mulher não foi informada no valor do prêmio do bilhete. Já no banco, a mulher realizou diversas transferências, para contas diferentes, com titulares diferentes, somando R$ 230 mil.

Após as movimentações bancárias, os homens levaram a vítima para a frente do condomínio, onde fizeram a entrega do bilhete em um envelope e pediram que ela só abrisse no dia seguinte, momento combinado para o resgate do prêmio da loteria. No entanto, os homens sumiram.

Investigação

A Operação Bilhete Premiado foi deflagrada pela Polícia Civil de Goiás na semana passada, quando três mandados de busca e apreensão, um mandado de prisão temporária e bloqueios de bens foram realizados contra pessoas que moram nas cidades de Camaçari e Salvador, na Bahia, e Curitiba, no Paraná. Os alvos foram as pessoas que receberam os valores transferidos pela mulher, uma pessoa foi presa.

De acordo com a polícia, foram apreendidos aparelhos celulares, notebooks e documentos diversos. Porém, a investigação continua, já que a corporação busca outros possíveis envolvidos no esquema. Três investigados devem responder por estelionato e associação criminosa, podendo pegar até 8 anos de pena.

Até o momento, os dois homens que abordaram a mulher ainda não foram identificados pela polícia e outra possíveis vítimas não foram detectadas.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS