4 outubro 2022 8:01
4 outubro 2022 8:01

Antes de começar show, cantor de forró é preso por dívida de pensão alimentícia

O forrozeiro Andrezinho de Ouro foi preso antes de iniciar um show em um restaurante, no Bairro Quintino Cunha, em Fortaleza.

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

O cantor de forró Andrezinho de Ouro foi preso, na noite desta sexta-feira (9), por não pagar pensões alimentícias em atraso. O forrozeiro foi preso antes de iniciar um show em um restaurante, no Bairro Quintino Cunha, em Fortaleza.

A Secretaria da Segurança Pública (SSPDS) confirmou a prisão e afirmou que uma equipe da Polícia Militar deu cumprimento a o mandado de prisão por falta de pagamento de pensão alimentícia. A pasta afirmou que o homem de 42 anos foi preso e conduzido para a delegacia do 10º Distrito Policial (DP), onde foram tomadas as providências cabíveis. O homem foi colocado à disposição da Justiça.

Dois anos sem emprego e pandemia

Por meio do Instagram, o cantor admitiu que possui duas ações de pensão alimentícia. Sendo uma de R$ 1,9 mil, em Caucaia, e a outra em Fortaleza, de R$ 1,2 mil. Andrezinho afirmou que sofre injustiça e que seus vencimentos da época do Forró Pé de Ouro acabaram e que a pandemia o prejudicou.

Infelizmente estava preparado para fazer um show. Estou sendo conduzindo, sendo preso, agora. Há muito tempo venho sofrendo injustiça em Caucaia e em Fortaleza. Fui cantor no Pé de Ouro por dez anos. Aquele salário do Pé de Ouro acabou e também veio a pandemia. Passei dois anos sem trabalho dentre outros problemas.”, justificou.

O cantor emocionado ainda afirmou que a dívida acumulou e que não pode pagar. “Deu uma baixa nas minhas condições. Estava dois anos sem trabalho e não tenho como pagar e acumulou muito. Hoje eu tenho uma esposa e um filho de dois anos”, disse.

Prisão indevida

A defesa do forrozeiro disse por nota que a prisão foi indevida e que a condição financeira do artista impossibilita cumprir com os compromissos.

Os valores que sustentam a prisão indevida ora realizada são valores institutos em uma fase profissional do André que não mais condiz com a realidade do artista, valores que estão sendo discutidos processualmente há anos e já fora devidamente provado aos autos a impossibilidade de pagamento frente a atual situação profissional do artista. Inclusive há impugnações específicas no que tange ao débito total devido pelo artista“, disse a defesa.

Fonte: G1

 

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS