24 setembro 2022 9:56
24 setembro 2022 9:56

Presidente Bolsonaro pediu para bancos baixarem juros do consignado em prol do cidadão

Durante o Febraban Tech, Octavio de Lazari, do Bradesco, disse que conversa com o presidente Bolsonaro foi ‘tranquila’.

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

A reunião do presidente Jair Bolsonaro com membros da Federação Brasileira de Bancos, a Febraban, na última segunda-feira, 08 de agosto, ganhou manchetes sobre como o Presidente se referiu a carta emitida pela entidade.

Mas, na visão do diretor-presidente do Bradesco, Octavio de Lazari, o encontro foi “super tranquilo”.

Durante o Febraban Tech, evento da entidade que acontece nesta semana em São Paulo, Lazari ressaltou a jornalistas, que havia uma preocupação sobre o almoço com o presidente devido ao manifesto.

“Mas foi muito tranquilo. Ele [Bolsonaro], falou muito sobre importância dos bancos e da taxa de juros, e intercedeu para que a gente [representantes bancários], pudessemos  baixar um pouco as taxas em prol do cidadão”, disse Lazari.

O pedido de Bolsonaro se referia sobre os juros do crédito consignado, conforme explicou Lazari. Questionado se havia dito ao presidente que iria baixar os juros, Lazari disse que “não”.

“Eu não responderia a uma pergunta dessa forma. A taxa de juros não é formada por um único fator. Ela envolve uma série de fatores, como cobrança, inadimplência, recuperação de crédito… tem vários fatores, e não dá para reduzir assim, mas ele pediu para baixar, e vamos estudar a questão”, justificou.

Lazari também colocou a Febraban à disposição dos outros candidatos à presidência, dizendo que a agenda está aberta, e convites já foram feitos para Lula, Simone Tebet e Ciro Gomes.

“A gente está esperando a confirmação da campanha deles, mas até o momento, nenhum apresentou interesse e nem direcinou qualquer pedido desse cunho à instituição”, afirmou.

Os bancos e o Pix

Durante a abertura do evento, o presidente da Febraban, Isaac Sidney, aproveitou a fala para aparentemente enviar um recado ao presidente Bolsonaro.

Como o evento é voltado para o avanço da tecnologia no setor bancário, Sidney tocou no assunto Pix, que foi pivô de uma polêmica levantada para justificar o apoio dos banqueiros ao manifesto pela democracia.

“O Pix é o símbolo mais popular dessas transformações recentes e sempre contará com nosso apoio e entusiasmo. Ele fez bem para a sociedade e para os bancos, tem impulsionado transações entre pessoas e empresas”, disse Sidney.

Fonte/ Portal Extra

 

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS