9 agosto 2022 1:00
9 agosto 2022 1:00

Justiça julga recursos de condenados da boate Kiss, e famílias temem soltura

Advogados dos réus pedem a anulação do julgamento

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Passados quase oito meses do júri que condenou quatro pessoas acusadas de envolvimento no incêndio que deixou 242 mortos e 600 feridos na boate Kiss, em Santa Maria, em 2013, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul avalia nesta quarta (3) os recursos das defesas. A sessão está marcada para as 14h. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Os advogados dos réus pedem a anulação do julgamento. Caso esse pedido não seja admitido, requerem o redimensionamento das penas privativas de liberdade fixadas pelo juiz à ocasião.

Embora esteja sendo questionado o cumprimento das regras judiciais ao longo do processo, e não a decisão dos jurados pela condenação, amigos e familiares das vítimas apontam receios em relação ao julgamento dos recursos, que será feito por três desembargadores.

O principal temor é que as penas –definidas entre 18 e 22 anos no júri de dezembro passado– sejam reduzidas a menos de 15 anos de reclusão, o que permitiria que os réus respondessem aos demais recursos do processo em liberdade.

Agência Brasil

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS