11 agosto 2022 2:31
11 agosto 2022 2:31

Jacarés debilitados pela seca do Pantanal são alimentados para realizar travessia em busca de água

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Em meio à seca no Pantanal, a Polícia Militar Ambiental (PMA-MS), em conjunto com biólogos e veterinários do Grupo de Resgate Técnico Animal Cerrado Pantanal (GRETAP-MS) alimentaram com 300 kg de carne jacarés que estavam desnutridos por falta de água. A operação aconteceu nesse sádado (30) na região do Abobral e Nhecolânida, no Pantanal de Mato Grosso do Sul.

Mais de 250 jacarés foram encontrados extremamente debilitados e sem conseguir se mover, devido a desnutrição (Foto: PMA/Divulgação)

De acordo com a PMA, cerca de 250 jacarés foram alimentados. Eles foram encontrados extremamente debilitados e não conseguiam se mover, devido à desnutrição.

A operação de resgates dos animais conta com duas fases: a primeira, na qual foi feito um atendimento emergencial aos jacarés, que estão divididos pelo Pantanal. A segunda fase será de monitoramento.

Polícia Militar Ambiental (PMA-MS), em conjunto com biólogos e veterinários do Grupo de Resgate Técnico Animal Cerrado Pantanal (GRETAP-MS) alimentaram com 300 kg de proteína animal (carne) (Foto: PMA/Divulgação)

Na segunda fase, equipes da GRETAP irão observar os animais por vinte dias, com o objetivo de verificar se os jacarés conseguirão, depois de serem alimentados, fazer a travessia das áreas afetadas até uma outra, em que exista água e alimento.

Ainda conforme a PMA, caso esses animais não consigam chegar até uma área de rio, uma força tarefa será montada e eles serão capturados e transportados até um local onde possam obter recursos para a sobrevivência.

Apesar de muitos animais estrarem em condições críticas, nenhum morreu até o momento.

A pesquisadora e especialista em jacarés, Zilca Campos, explica que a região do Abobral, onde o vídeo foi feito, está seca desde 2020. “Pantanal do MS está muito seco, aliás não teve enchente em 2022. A seca severa continua levando a morte de muitos jacarés e outros animais da fauna. Isso está acontecendo, isso é fato”, lamenta a pesquisadora.

Jacarés foram vistos em poça de lama na busca de água. (Foto: Reprodução)

O coronel Ângelo Rabelo, presidente do Instituto Homem Pantaneiro (IHP), comenta que a cena registrada, neste ano, já foi vista por ele em outros momentos no Pantanal. “Vai continuar acontecendo na medida que secar, lamentavelmente há muito pouco o que fazer”.

“Nós estamos entrando em um ciclo de muita seca. Bacias que estavam com muita água há 30 anos, secaram. Os animais mais espertos acompanharam o percurso dos rios. Alguns ficam para trás e ficam em processo de hibernação, mas outros acabam morrendo”, comentou Rabelo.

Situação de emergência

O governo de Mato Grosso do Sul decretou estado de emergência em 14 cidades do estado, em razão das queimadas no Pantanal e Cerrado. A medida foi anunciada, pelo governador, Reinaldo Azambuja (PSDB).

A decisão seguirá por seis meses e tem a capacidade de ampliar os poderes das forças de segurança, para que possam agir na prevenção e combate aos incêndios florestais. O decreto ainda permite que o governo estadual contrate ou adquira bens ou serviços em caráter emergencial.

Fonte: G1

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS