23 setembro 2022 8:25
23 setembro 2022 8:25

Copiloto que saiu de avião em voo estava “visivelmente chateado”, diz relatório

Aeronave está retida para exames mais aprofundados e o incidente continua sob investigação

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

O copiloto que caiu para a morte depois de descer de uma aeronave no meio do voo na Carolina do Norte pode ter estado doente e foi descrito como “visivelmente chateado” antes de sair do avião sem paraquedas, de acordo com um relatório preliminar do National Transportation and Safety Board (Conselho Nacional de Segurança nos Transportes).

Duas pessoas, um piloto encarregado e um segundo no comando, estavam inicialmente no voo de 29 de julho, mas apenas uma pessoa estava no avião quando pousou, disse a Administração Federal de Aviação na época.

O corpo de Charles Hew Crooks, o segundo encarregado de 23 anos, foi encontrado horas depois no quintal de uma casa em Fuquay-Varina, cerca de 18 milhas (cerca de 28 quilômetros) ao sul de Raleigh, informou a polícia.

avião, um bimotor CASA CN-212 Aviocar, estava sendo operado como um voo de paraquedismo, segundo o relatório da NTSB. Ele já tinha feito duas corridas de paraquedismo e estava a caminho para pegar um terceiro grupo.

Enquanto Crooks pilotava o avião em sua descida ao Aeroporto Raeford West, o avião desceu abaixo da linha das árvores e “caiu”, de acordo com o relatório.

Enquanto tentava fazer o avião subir novamente, o trem de pouso principal direito “impactou a superfície da pista”, causando um pouso difícil. O piloto-em-comando assumiu os controles de Crooks, atingiu mais de 400 pés novamente e o orientou a declarar uma emergência e solicitar um desvio para o Aeroporto Internacional de Raleigh-Durham para pouso, disse o relatório.

Neste ponto, Crooks foi responsável por se comunicar com o controle de tráfego aéreo enquanto o piloto-em-comando pilotava o avião. Eles causaram turbulência ao se aproximarem do aeroporto e, cerca de 20 minutos após o voo, Crooks “ficou visivelmente chateado” com o pouso forçado, segundo o relatório.

O piloto encarregado disse que Crooks então abriu a janela lateral do cockpit e “pode ter se sentido doente” — momento em que o piloto responsável assumiu as comunicações de rádio, segundo o relatório. Crooks baixou a rampa na parte de trás do avião, indicando que ele “sentia que ia passar mal e precisava de ar”, de acordo com o relatório.

“O (piloto-em-comando) afirmou que o (segundo encarregado) então se levantou de seu assento, removeu seu fone de ouvido, pediu desculpas e partiu do avião pela porta da rampa de ré”, diz o relatório.

O piloto disse que havia uma barra em que Crooks poderia ter pego cerca de 1,80 m acima da rampa, mas ele não viu Crooks agarrá-la antes de sair do avião. O piloto virou o avião para procurar Crooks e notificou o controle de tráfego aéreo sobre a saída de Crooks do avião.

O piloto prosseguiu com um pouso de emergência no aeroporto. No exame pós-acidente, o avião teve danos substanciais nos elevadores do trem de pouso e na estrutura da aeronave, segundo o relatório da NTSB.

O avião foi retido para exames mais aprofundados, segundo o relatório, e o incidente continua sob investigação.

*Tina Burnside e Paradise Afshar, da CNN, contribuíram para esta reportagem

Fonte: CNN Brasil

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS