9 agosto 2022 5:41
9 agosto 2022 5:41

Porta-voz dos EUA rebate Bolsonaro sobre urnas e cobra que instituições sigam a Constituição

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Estadão

Um dia depois de reagir à ofensiva do presidente Jair Bolsonaro contra as urnas eletrônicas, o governo dos Estados Unidos reafirmou nesta quarta-feira, 20, que o processo eleitoral brasileiro deve ser visto como um modelo pelos demais países. Porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price disse que o sistema de votação usado no Brasil já se provou confiável ao longo dos anos. Segundo ele, o governo Joe Biden espera que as instituições brasileiras ajam de acordo com seu papel previsto na Constituição durante as eleições de outubro.

“Eleições vêm sendo conduzidas pelo sistema eleitoral brasileiro, capacitado e já testado, e pelas instituições democráticas com sucesso por muitos anos, então ele é um modelo para nações deste hemisfério e além”, afirmou Ned Price, durante pronunciamento à imprensa em Washington. “Como um parceiro democrático do Brasil, vamos acompanhar as eleições de outubro com grande interesse e expectativa total que sejam conduzidas de forma livre, justa e confiável, com todas as instituições agindo segundo seu papel constitucional.”

A declaração do porta-voz da diplomacia norte-americana é a segunda seguida em apoio ao modelo de votação praticado no Brasil, depois que o presidente Jair Bolsonaro reuniu 70 embaixadores em Brasília para questionar a segurança das urnas eletrônicas e a lisura do processo eleitoral. Entre os participantes do encontro estava o encarregado de negócios e atual chefe da representação norte-americana em Brasília, Douglas Koneff.

Na noite desta terça-feira, a Embaixada dos Estados Unidos divulgou uma nota à imprensa com teor semelhante ao pronunciamento de Ned Price, depois de discussões sobre a estratégia para se posicionar e rebater o presidente brasileiro. Com pesquisas de intenção de voto indicando possibilidade de derrota, Bolsonaro promove uma campanha de desinformação sobre as urnas e incentiva as Forças Armadas a pressionarem a Justiça Eleitoral por mudanças na auditoria das eleições.

Ned Price afirmou que os Estados Unidos vêm tratando do tema das eleições no Brasil desde o ano passado e que já se manifestaram publicamente e conversaram em privado com autoridades da cúpula do governo Jair Bolsonaro. O próprio presidente ouviu de Joe Biden, durante reunião em Los Angeles, em junho, que eles esperam que o resultado das eleições seja respeitado e que confiam no uso de urnas eletrônicas para promover eleições livres, justas e transparentes.

Confira abaixo a declaração do porta-voz durante entrevista (em inglês)

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS