15 agosto 2022 2:40
15 agosto 2022 2:40

Mulher mata o homem que a traficava na adolescência, é libertada e perdoada

O perdão marcou a conclusão de um caso que já dura mais de uma década e o mandato de três governadores.

Por Redação Ecos da notícia

- Publicidade -

No último dia 1º, a mulher teve sua vida mudada para sempre. Entenda!

Sara Kruzan, 44, dos Estados Unidos, viveu momentos muito difíceis na adolescência. De acordo com a CBS, aos 16 anos, matou George Gilbert Howard, seu cafetão e agressor. O crime aconteceu em um quarto de motel em Riverside. Kruzan atirou no pescoço do homem e em seguida roubou seu dinheiro e carro, deixando-o no chão do local.

Segundo contou, o homem abusou sexualmente dela e começou a traficá-la para sexo aos 13 anos. Apesar de sua declaração, aos 17 anos foi condenada por assassinato em primeiro grau e sentenciada à prisão perpétua, sem direito de requerer liberdade condicional.

Arnold Schwarzenegger comutou sua sentença para prisão perpétua com a possibilidade de liberdade condicional pouco antes de deixar o governo da Califórnia, no início de 2011.

Direitos autorais: Reprodução.

Ao fim de 18 anos detida, em 2013, Jerry Brown permitiu sua libertação. Seu caso de Kruzan se popularizou e pautou uma causa célebre para legisladores estaduais e grupos reformistas que buscavam suavizar as duras penas de prisão perpétua para pessoas que cometeram crimes quando jovens.

Leland Yee, um senador democrata preso por corrupção, posteriormente manifestou-se na época, dizendo que o caso da mulher era um exemplo perfeito de que os adultos e a sociedade haviam falhado com ela. “Ela tinha um predador que a perseguia, a estuprava, a forçava na prostituição, e não havia ninguém por perto”, disse o político na ocasião.

Direitos autorais: Reprodução / California Department Of Corrections and Rehabilitation.

O perdão

A libertação de Kruzan foi um marco nos Estados Unidos, mas sua história não terminou aí. Na última sexta-feira, 1º de julho, o atual governador da Califórnia, Gavin Newsom, perdoou a ex-prisioneira por seu crime. O perdão marcou a conclusão de um caso que já dura mais de uma década e o mandato de três governadores.

Newsom explicou, durante o perdão, que a mulher tem mostrado sinais de que está “vivendo uma vida correta”, reforçando que, desde o assassinato, Kruzan “transformou sua vida e se dedicou ao serviço comunitário”.

Fonte/ Portal O segredo

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS