8 agosto 2022 5:11
8 agosto 2022 5:11

Membros de seita são presos por morte de menina diabética proibida de tomar insulina

Menina Elizabeth Struhs, de 8 anos, morreu em janeiro deste ano; Pais eram integrantes de seita extremista na Austrália.

Por Redação Ecos da notícia

- Publicidade -

Doze membros de uma seita religiosa de Queensland, na Austrália, foram presos nesta terça-feira acusados de envolvimento na morte da menina Elizabeth Struhs, de 8 anos, em janeiro deste ano. Elizabeth tinha diabetes e teve negada suas doses de insulina, segundo a polícia. O caso aconteceu na cidade de Toowoomba.

A irmã mais velha da jovem descreveu o grupo do qual os pais faziam parte como um culto “movido pelo medo” que levou a religião aos seus extremos. Segundo o jornal local Courrier Mail, os membros do grupo acreditavam que a menina seria ressuscitada.

No início do ano, o pai e mãe da menina, Jason e Kerrie Struhs, já haviam sido acusados pelos crimes de homicídio, tortura e falha em prover necessidades básicas, nas investigações da morte da jovem. Eles se encontram presos.

Os novos doze acusados de envolvimento na morte de Elizabeth tem idades que variam entre 19 e 64 anos. Segundo nota da polícia de Queensland, os membros do grupo sabiam dos problemas de saúde da criança, mas não buscaram ajuda médica.

Os pais e membros da seita apenas teriam rezado pela recuperação da jovem, e as autoridades só foram acionadas um dia após ela ter morrido.

— Nos meus 40 anos de polícia, nunca enfrentei um assunto como esse — disse o detetive Garry Watts.

Fonte/ Portal Yahoo.com

ÚLTIMAS