9 agosto 2022 12:01
9 agosto 2022 12:01

Futebol feminino garante 1ª vaga do Brasil em Paris 2024

Vitória sobre o Paraguai pela semifinal da Copa América classifica a seleção comandada por Pia Sundhage para as Olimpíadas da França. Confira os principais eventos pré-olímpicos de 2022

Por Ge Globo

- Publicidade -

O futebol feminino é a primeira modalidade do Brasil garantida nas Olimpíadas de Paris 2024. Nesta terça, data que marca exatos dois anos para o início dos Jogos da França, a seleção comandada por Pia Sundhage conquistou a classificação com uma vitória por 2 a 0 sobre o Paraguai pela semifinal da Copa América, em Bucaramanga, na Colômbia.

A seleção da casa, que derrotou a Argentina na outra semi (1 a 0) na segunda-feira, também está classificada para as Olimpíadas. Brasileiras e colombianas decidem a Copa América no sábado, às 21h, com transmissão do sportv.

Além do futebol, outros esportes também iniciaram sua corrida olímpica para Paris 2024. Para este ano, o Brasil tem boas chances de garantir vagas no surfe, na ginástica artística e no hipismo.

As primeiras vagas

Dois esportes deram início à corrida olímpica e já distribuíram as primeiras vagas. No triatlo, o Brasil figurou entre os líderes no Mundial de revezamento de Montreal, em junho, mas não completou a prova, e o único posto em disputa ficou com a Grã-Bretanha. No futebol, Estados Unidos e República Dominicana já se classificaram entre os homens, enquanto brasileiras, americanas e colombianas estão garantidas entre as mulheres, além da França, confirmada nos dois torneios por ser anfitriã dos Jogos.

Futebol da França está garantido nas Olimpíadas de Paris por ser anfitrião — Foto: Reuters

Principais chances para o Brasil em 2022

SurfeMundial da ISA (17 a 24/9)
Uma única vaga por gênero vai ser disputada este ano no surfe. No Mundial da ISA, em Huntington Beach, na Califórnia, o país com melhor ranking por equipes entre os homens e o melhor entre as mulheres garantem um posto nos Jogos de 2024 – a competição olímpica vai ser em Teahupo’o, no Taiti, território francês na Oceania. A vaga do Mundial é uma espécie de vaga extra, permite ao país que conquistá-la levar às Olimpíadas até três surfistas em vez do limite de dois representantes classificados por outros critérios, como a WSL de 2023.

Ítalo Ferreira comemora ouro em Tóquio — Foto: REUTERS/Lisi Niesner

Ginástica Artística – Mundial (29/10 a 6/7)

Com a campeã olímpica e mundial Rebeca Andrade, o Brasil venceu os Estados Unidos pela primeira vez no Campeonato Pan-Americano neste mês e mostrou que pode brigar por uma das três vagas antecipadas por equipes em disputa no Mundial de Liverpool. Chinesas e americanas são as favoritas, mas as brasileiras estão no páreo pela medalha inédita junto com Grã-Bretanha, Itália e França. A competição na Inglaterra também vai distribuir três vagas por equipes entre os homens, mas o Brasil tem poucas chances de chegar ao pódio inédito. Mais vagas estarão em jogo no Mundial de 2023.

Brasil campeão do Pan-americano de ginástica artística — Foto: Ricardo Bufolin/CBG

Hipismo de saltos – Mundial (10 a 14/8) e Final da Copa das Nações (29/9 a 2/10)

Sexto lugar por equipes no hipismo de saltos das Olimpíadas de Tóquio, o Brasil vai ter duas chances para tentar garantir a vaga para Paris já este ano. No Mundial de Herning, na Dinamarca, cinco equipes se classificam, sem contar a França, que já tem o posto de anfitriã dos Jogos. Em Barcelona, o melhor time da final da Copa das Nações leva mais uma vaga, excluindo os países já garantidos no Mundial. Marlon Zanotelli é o cavaleiro destaque do Brasil no ano, tendo vencido uma importante competição em Paris no mês passado.

Marlon Zanotelli é campeão no Global Champions Tour de Paris — Foto: Divulgação/GCT

Chances mais remotas

Outras quatro modalidades distribuem vagas diretas já em 2022, mas o Brasil não figura entre os favoritos para esses postos.

•  Hipismo de CCE (conjunto completo de equitação) – o top 7 por equipes do Mundial de Pratoni del Vivaro se classifica para Paris. A competição na Itália vai ser de 14 a 18 de setembro.
•  Hipismo de adestramento – o top 6 por equipes do Mundial de Herning se classifica para Paris. A competição na Dinamarca vai ser de 6 a 10 de agosto.
•  Tiro esportivo – o Brasil vai disputar três competições pré-olímpicas de tiro em 2022. Quatro vagas por prova vão estar em disputa no Mundial de pistola e carabina do Egito (15 a 25 de outubro) e no Mundial de shotgun da Croácia (22 de setembro a 11 de outubro). No Campeonato Pan-Americano de Lima, no Peru, mais uma vaga em cada prova estará em jogo, entre 9 e 16 de novembro.
•  Ginástica rítmica – o top 3 por conjuntos e o top 3 do individual geral se classificam para Paris no Mundial de Sofia. A competição na Bulgária vai ser entre 14 e 18 de setembro.

Já foi dada a largada

Sete modalidades ainda não distribuem vagas este ano, mas já deram a largada na corrida por pontos em rankings classificatórios para as Olimpíadas. Para o Brasil, o skate se destaca nesse grupo, com a vice-campeã olímpica Rayssa Leal figurando entre as principais candidatas a um posto nos Jogos. Além do skate, pontos já estão em disputa no vôlei, no judô, no ciclismo mountain bike, no ciclismo de estrada, no taekwondo e no golfe.

Rayssa Leal comemora título do STU em SC — Foto: Marcel Merguizo

A corrida por pontos em rankings pré-olímpico começa ainda este ano no ciclismo BMX, no ciclismo de estrada, no basquete 3X3, no rugby e no levantamento de peso.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS