18 agosto 2022 7:45
18 agosto 2022 7:45

Fisioterapeuta faz apelo comovido em redes sociais para que ladrão devolva bezerra de estimação roubada de chácara em Senador Guiomard

Temor da dona de “Betânia”, a bezerrinha que ela cria na mamadeira desde que a encontrou perdida e sem mãe, é que o animal possa virar churrasco.

Por Tião Maia, da Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

O possível furto de uma bezerra de seis ou sete meses de vida, com peso aproximado de 70 quilos, comoveu as redes sociais na tarde deste domingo (10), após a dona do animal, a fisioterapeuta Keterine Freire de Oliveira, de 28 anos, implorar para que o animal seja devolvido, inclusive vendido à proprietária, e que na pior das hipóteses não seja abatida e não vire churrasco.

A Bezerrinha Bethania ganhando afagos de sua dona em momento. Foto de arquivo pessoal.

O sumiço do animal, aliás, expôs uma relação de amor entre sua dona e Bethânia, o nome da bezerrinha dado em homenagem à cantora baiana da qual Keterine Freire de Oliveira é fã ardorosa.
A bezerrinha, da cor branca, é da raça Nelo, ainda está sem marca.

“Ela possui as seguintes características: é bem mansinha, carinhosa, tem o cílios albino (claro), o nariz rosa e não é gorda, porém muito sadia”, descreveu a dona da bezerrinha, a qual se dirige diretamente ao ladrão, que ela não sabe quem é.

Bethânia pousando para um clic pra lá de estiloso. Registro feito por sua dona. Foto de arquivo pessoal.

“Por favor quem a furtou, trate-a bem, ela ainda bebe leite. Ela não se mistura com os outros animais porque não tem costume. Se por ventura alguém a comprou enganado, saiba que estou disposta a comprá-la de volta. Saiba que o valor é sentimental, pois a crio ela desde quando ela nasceu, dando mamadeira, todos os dias. Eu a crio como uma filha. Meu sentimento por ela é muito grande. Escutem meu apelo, por favor. Obrigada pela compreensão”, acrescentou Keterine.

O drama de Keterine Freire e de seu animalzinho de estimação começou no início da noite, do último dia oito, sexta-feira, quando a fisioterapeuta, sua irmã e seus pais deixaram a chácara onde a bezerra vivia, com outros animais. A família de Keterine mora em Senador Guiomard, na zona urbana, mas diariamente se desloca para a chácara, que fica localizada a cinco quilômetros da cidade, nas proximidades da sede da ZPE (Zona de Processamento de Exportação).

 

“Como já houve sumiço de outras coisas lá na chácara que fica só à noite, a gente acha que ela foi roubada. Já a procuramos em toda a chácara e não há o menor vestígio dela. Por isso, resolvi apelar pela sua devolução, até para a possível compra dela e quem a pegou, rogando a quem estiver com ela que não a mate”, disse.

A relação da fisioterapeuta com a bezerra começou quando o animal foi encontrado na chácara, aparentemente sozinha, ainda muito bebê.

“Achamos que a mãe possa ter morrido e decidi adotá-la e cuidar dela”, conta Keterine, que tem outro bezerrinho, embora não seja irmão legítimo de Betânia, o qual chama-se, por motivos óbvio, de Caetano.

“Com o sumiço dela, meu chão sumiu”, disse Keterine, que está completando 28 anos de idade neste domingo e tudo o que gostaria de receber de presente seria ter seu animal de estimação de volta em seus braços. Seu choro, pela falta do animal e pelo que de pior pode acontecer com ela – virar carne para algum churrasco em Senador Guiomard, é de cortar o coração.

 

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS