17 agosto 2022 2:32
17 agosto 2022 2:32

Elon Musk responde à ameaça judicial do Twitter com meme

Musk divulgou na sexta-feira (8) que estava desistindo de seu acordo de compra do Twitter, citando a falta de informações sobre o número de usuários do Twitter compostos por bots.

Por Redação Ecos da notícia

- Publicidade -

Elon Musk zombou dos esforços do Twitter para forçá-lo a comprar a empresa, e ele fez isso em um tweet, é claro.

No início desta segunda-feira (11), Musk twittou quatro imagens dele rindo ao lado de legendas que diziam: “Eles disseram que eu não podia comprar o Twitter. Então eles não divulgariam informações sobre o bot. Agora eles querem me forçar a comprar o Twitter no tribunal. para divulgar informações de bot no tribunal.”

Mensagem postada na página oficial de Elon Musk. Imagem retirada da Internet.

Isso foi logo seguido por uma foto do ator Chuck Norris jogando xadrez com apenas um único peão em seu lado do tabuleiro e um conjunto completo de peças do outro lado, com Musk twittando “Chuckmate”.

Musk divulgou na sexta-feira (8) que estava desistindo de seu acordo de compra do Twitter, citando a falta de informações sobre o número de usuários do Twitter compostos por bots.

Seu advogado disse que colocou o Twitter “em violação material de várias disposições” do acordo original.

O Twitter respondeu dizendo que “procuraria uma ação legal para fazer cumprir o acordo de fusão”.

Os investidores no Twitter não estão rindo. As ações da plataforma de mídia social caíram 5% no início das negociações de pré-mercado na segunda-feira (11). As ações já estavam bem abaixo do preço de compra acordado em abril de US$ 54,20 por ação, fechando sexta-feira em US$ 36,81.

Mas outras ações de tecnologia também estão em queda acentuada desde abril, incluindo ações da Tesla, a principal fonte do patrimônio líquido líder mundial de Musk.

As ações da Tesla caíram 31% desde que as participações iniciais de Musk no Twitter foram divulgadas em abril. As ações da Tesla subiram 1% nas negociações de pré-mercado.

Fonte/ CNN BRASIL

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS