6 julho 2022 12:18
6 julho 2022 12:18

QUASE: A defesa do acusado de tentativa de homicídio “Erisson Nery” conseguiu adiar audiência que o levaria a “juri popular” no município de Epitaciolândia

Por muito pouco o acusado de homicídio Erisson Nery não foi a júri popular. Sua advogada de defesa Halane Cristina, conseguiu apresentar atestado médico de 30 dias, e a audiência foi adiada.

Por Redação Ecos da notícia

- Publicidade -

Helane Christina que atua na defesa do Sargento Nery acusado, conforme denúncia do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), de tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil, e recurso que impossibilitou a defesa da vítima, porte irregular de arma de fogo de uso permitido, e por lesão corporal de natureza grave contra o estudante de medicina Flavio Endres, de 30 anos.

Registro feito por populares. Momento em que Flávio Endres foi atingido pelos disparos realizados por Errison Nery. Foto arquivo retirada da Internet.

Advogada conseguiu um importante revés na Justiça, conseguindo adiar Audiência de Instrução e Julgamento, prevista para acontecer na manhã desta quinta-feira (09), na Vara Criminal do Fórum de Epitaciolândia, e que “poderia levar”, o seu cliente a “júri popular”.

Helane apresentou ao judiciário acreano, nesta quarta-feira, 08 de junho, um atestado médico de 30 dias por motivos de saúde, e por isso, não poderia fazer a defesa de Nery na data marcada para audiência.

O Juiz substituto da Comarca de Epitaciolândia, Dr. Clóvis de Souza Lodi, aceitou os argumentos da defesa, e “adiou” para uma outra data que ainda será definida, a Audiência de Instrução e Julgamento sobre o caso. O processo segue em segredo de justiça a pedido da defesa, que teve a “segunda decisão favorável” ao Sargento Nery em uma semana.

Flavio Endres, vítima dos disparos efetuados por Erisson Nery na noite da tentativa de homicídio. Foto retirada da Internet.

Entenda o caso

Dra. Joelma Ribeiro, Juíza da Vara Criminal de Epitaciolândia responsável pelo caso negou em abril deste ano, o pedido de insanidade mental de sargento Erisson Nery e agora a defesa dele tenta derrubar decisão na Justiça. E por isso Advogada pediu ainda a suspeição da magistrada, alegando que não há imparcialidade.

Sargento Nery é acusado de atirar quatro vezes a queima roupa contra o estudante Flávio Endres Ferreira (30), em novembro do ano passado em um bar de Epitaciolândia.

Flavio Endres, vítima de tentativa de homicídio, hospitalizado após procedimento médico para retirada de projéteis. Foto retirada da Internet.

A vítima está com sequelas em umas das mãos e braço e após passar por cirurgia na região do abdômen e ficar internado vários dias no pronto-socorro de Rio Branco. O jovem recebeu alta médica no início de dezembro passado.

O Militar ficou famoso nas redes sociais após assumir ‘trisal’, com a mulher também sargento da PM do Acre, Alda Nery, e Darlene Oliveira.

Envolvidos no trisal. Alda Radini, Erisson Nery e Darlene Oliveira. Foto retirada da Internet.

Os três moravam em Brasileia e de acordo com informações, há alguns meses a sargento fazia tratamento psicológico, quando o casal voltou a gerar polêmica ao surgir boatos de separação.

Erisson e Alda Radini. Foto retirada da Internet.

A população aguarda ansiosa pelo julgamento.

 

 

 

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM SEU EMAIL

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 146.801 outros assinantes

ÚLTIMAS